Inadimplência afeta resultados de bancos portugueses

O Banco do Espírito Santo SA (BES) é o terceiro banco de Portugal a divulgar uma alta contínua na carga de empréstimos ruins nos primeiro seis meses do ano, no momento em que o país passa por uma contração econômica nítida.

PATRÍCIA BRAGA, Agencia Estado

30 de julho de 2012 | 16h51

O BES, maior banco português em capitalização de mercado, anunciou na segunda-feira que cobranças de créditos inadimplentes cresceram para 352 milhões de euros, de 305,4 milhões de euros, na mesma comparação, o que representa uma alta 15% no período, enquanto o governo de Portugal continua a implementar uma série de medidas de austeridade ligadas ao programa de resgate no valor de 78 bilhões de euros.

O banco informou que o risco de crédito subiu para 7,9% do total em junho, em relação aos 5,6% de um ano atrás.

O Banco BPI SA e o Banco Comercial Portugues SA também informaram custos altos atrelados aos empréstimos inadimplentes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
bancosbalançosinadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.