Inadimplência cai 3,5% em julho, maior recuo para o mês desde 2006

Na comparação com julho de 2012, a queda foi de 5%, afirma Serasa

Agência Estado,

13 de agosto de 2013 | 09h29

O Indicador de Inadimplência do Consumidor caiu 3,5% em julho ante junho, informou nesta terça-feira, 13, a Serasa Experian. Foi o segundo recuo mensal consecutivo e também a menor variação do indicador para um mês de julho desde 2006.

Na comparação com julho de 2012, a queda foi de 5%. Já no acumulado do ano até julho, na comparação com os primeiros sete meses do ano passado, o índice foi positivo, com alta de 4%, mas reforçou a tendência de queda da inadimplência, já que o acumulado do primeiro semestre apontava crescimento de 5,6%.

Em nota à imprensa divulgada pela Serasa Experian, os economistas da empresas atribuem a queda em julho à procura do consumidor pela renegociação de dívidas e à cautela na hora de adquirir bens e serviços. "A redução do poder aquisitivo, por conta da inflação, foi determinante para essa mudança de comportamento", ressaltam os economistas.

O recuo do indicador na comparação com junho foi puxado pelas dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia, energia e água), com queda de 8,7%, e dívidas com bancos, que encolheram 2,2%. Títulos protestados e cheques sem fundos pressionaram o índice para cima, com altas, respectivamente, 8,4% e 16,3%.

Tudo o que sabemos sobre:
Serasainadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.