Inadimplência da Caixa cai para 2,27% em junho

A inadimplência da Caixa Econômica Federal, considerando os atrasos acima de 90 dias, alcançou 2,27% em junho, melhora de 0,22 ponto porcentual na comparação com março, de 2,34%. Em um ano, porém, o indicador apresentou piora de 0,20 p.p.

ALINE BRONZATI E CYNTHIA DECLOEDT, Agencia Estado

15 de agosto de 2013 | 12h48

A melhora na inadimplência da Caixa foi influenciada pelos indicadores da carteira comercial pessoa jurídica e habitação. Nos empréstimos corporativos, o número de calotes passou de 1,91% em março para 1,76% em junho. Em habitação, o indicador recuou de 1,92% para 1,75%, respectivamente.

Em contrapartida, a inadimplência comercial pessoa física piorou em 0,50 p.p., passando de 4,90% em março para 5,14% em junho. Os calotes da carteira comercial tiveram aumento de 0,36 p.p, de 3,32% para 3,33%.

As despesas com provisões para devedores duvidosos da Caixa, as chamadas PDDs, totalizaram R$ 2,241 bilhões no segundo trimestre deste ano, cifra 14,7% maior em um ano e 7,7% superior em relação aos três meses imediatamente anteriores. No primeiro semestre de 2013, as despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa totalizaram R$ 4,3 bilhões, aumento de 18,9%.

O crescimento dos gastos com PDDs no semestre, explica a Caixa em relatório que acompanha as suas demonstrações financeiras, está "alinhado ao comportamento esperado pela administração".

O saldo de PDDs da Caixa encerrou junho em R$ 21,638 bilhões. O montante é 22,2% maior que o visto em um ano, de R$ 17,706 bilhões, e 4,4% superior em relação ao saldo de março, de R$ 20,724 bilhões.

Patrimônio

O patrimônio líquido da Caixa encerrou o primeiro semestre de 2013 com R$ 25,6 bilhões, crescimento de 16,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
Caixabalançoinadimplência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.