Inadimplência do consumidor fechou 1º trimestre com alta de 10,5%

Segundo a Serasa Experian, esse foi o primeiro crescimento mensal do ano; Sazonalidade e inflação influenciaram no resultado

Agência Estado,

15 de abril de 2013 | 10h09

SÃO PAULO - O Indicador de Inadimplência do Consumidor, apurado pela Serasa Experian, subiu 3,6% em março na comparação com fevereiro. Este foi o primeiro crescimento mensal do ano, informou a instituição. No primeiro trimestre do ano, o índice apresentou alta de 10,5% na comparação com o mesmo período de 2012.

O aumento de 10,5% verificado no primeiro trimestre é o menor para o período desde 2010, quando o indicador registrou queda de 6,7% nos primeiros três meses do ano ante igual período de 2009. Em 2011 e 2012, o indicador subiu 21,4% e 18,2%, respectivamente.

O valor médio dos títulos protestados, das dívidas com bancos e dos cheques sem fundos tiveram altas de 1,9%, 3,3% e 10,1% no primeiro trimestre ante igual período de 2012. O valor médio da inadimplência não bancária foi o único que caiu (14,6%).

Em março deste ano ante mesmo mês do ano passado, por sua vez, a inadimplência cresceu 8,7%, o que mostra uma desaceleração, pois em fevereiro contra fevereiro de 2012 a alta havia sido de 10,1%.

"A sazonalidade influenciou no crescimento do índice em março por um ser um período crítico para as finanças domésticas, como o pagamento do IPVA e as despesas escolares, além do impacto da inflação, que reduz o poder aquisitivo da renda do trabalhador", avaliaram os economistas da instituição, em nota distribuída à imprensa.

Os cheques sem fundos tiveram o maior crescimento em março ante fevereiro (26,4%), seguidos pelos protestos (17,8%), dívidas não bancárias - como cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia, energia e água - (2,5%) e dívidas com bancos (0,2%).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.