Inadimplência média fica em 5,8% em novembro

O juro médio no crédito livre caiu de 29,4% ao ano em outubro para 28,9% ao ano em novembro

Eduardo Rodrigues e Eduardo Cucolo, da Agência Estado,

19 de dezembro de 2012 | 11h04

BRASÍLIA - O Banco Central informou que, após quatro meses de estabilidade em 5,9%, a inadimplência média do crédito livre recuou 0,1 ponto porcentual e encerrou o mês de novembro em 5,8%. A queda ocorreu no segmento de pessoas físicas, cujos calotes caíram de 7,9% para 7,8%. Já a inadimplência das empresas ficou estável em 4,1% no mês passado.

A inadimplência no crédito pessoal se manteve em 6,2% em novembro, assim como os calotes no cheque especial, que ficaram estáveis, em 12,1%. Já na aquisição de veículos, os atrasos superiores a 90 dias caíram de 5,9% em outubro para 5,6% no mês passado. A inadimplência nos financiamentos para a aquisição de outros bens também caiu, de 12,8% para 12,1%.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, comemorou a queda de 0,3% na inadimplência dos financiamentos de veículos no trimestre encerrado em novembro. Ele lembrou que os calotes na modalidade chegaram ao pico de 6,1% em maio, mas já recuaram para 5,6% no mês passado. "A inadimplência de veículos, que foi o maior foco de preocupação desde o fim do ano passado, agora podemos dizer que o momento crítico da modalidade foi superado", completou. Segundo ele, há sinalização de arrefecimento da inadimplência total à frente.

Juro

O juro médio no crédito livre caiu de 29,4% ao ano em outubro para 28,9% ao ano em novembro. Este é o nono mês consecutivo de queda da taxa média de juros. A taxa de novembro é a mais baixa registrada na série histórica do BC com início em 2000.

Para a pessoa física, a taxa média de juros recuou de 35,4% ao ano para 34,8% ao ano , na mesma base de comparação. O juro médio para pessoa jurídica também caiu, passando de 22,1% ao ano para 21,7% ao ano.

Entre as principais linhas de crédito para pessoa física monitoradas pelo BC, houve queda de juros no crédito pessoal (de 31,5% ao ano para 30,4% ao ano) e na aquisição de veículos (de 13,2% ao ano para 12,9% ao ano), na comparação mensal.

No cheque especial, por outro lado, os juros subiram de 136,4% ao ano em outubro para 138,5% ao ano em novembro. 

O spread médio no crédito livre também recuou 0,5% de outubro para novembro e encerrou o mês passado em 21,6 pontos porcentuais, ante 22,1 pontos porcentuais em outubro. De acordo com o Banco Central esta foi a nona queda consecutiva do spread. Nos 12 meses encerrados em novembro, a queda do spread bancário foi de 6,6 pontos porcentuais.

O spread médio da pessoa física recuou de 27,8 pontos porcentuais em outubro para 27,3 pontos porcentuais em novembro. Em 12 meses, a queda é de 7,3 pontos porcentuais. Para pessoa jurídica, o spread bancário recuou de 15,0 pontos porcentuais em outubro para 14,7 pontos porcentuais em novembro. Em 12 meses, a queda foi de 4,5 pontos porcentuais.

O Banco Central informou ainda que a taxa média geral de captação dos bancos no crédito livre ficou estável entre outubro e novembro, em 7,3% ao ano.  

Tudo o que sabemos sobre:
BCcréditonovembro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.