Inadimplência no BB sobe no 4º trimestre de 2013

A qualidade dos ativos do Banco do Brasil piorou no quarto trimestre ante o terceiro, em linha com a expectativa de analistas do mercado. O índice de inadimplência, considerando os atrasos acima de 90 dias, passou 1,97% em setembro para 1,98% em dezembro. Em um ano, entretanto, houve melhora de 0,1 ponto porcentual.

ALINE BRONZATI, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2014 | 08h57

Caso seja desconsiderada a carteira do banco Votorantim, o índice de inadimplência do BB seria de 1,82%, também superior ao indicador de setembro, de 1,78%. O indicador de calotes do sistema financeiro nacional, conforme o BB, está 3,00%. Portanto, considerando as operações do Votorantim ou não, o índice de inadimplência do BB está menor que o do mercado.

As despesas com provisões para devedores duvidosos do BB, chamadas de PCLD pela instituição, foram a R$ 4,188 bilhões no quarto trimestre do ano passado, crescimento de 15,2% em um ano e de 7,0% em relação ao terceiro trimestre. No acumulado de 12 meses, esses gastos somaram R$ 15,6 bilhões, cifra 6,5% e 3,7% maior, respectivamente e na mesma base de comparação. O saldo de provisões para PCLD do Banco do Brasil foi a R$ 23,662 bilhões ao final de dezembro, alta de 7% ante setembro. Na comparação com 12 meses, houve incremento de 11,6%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.