InBev avalia oferta por Anheuser, negociação ainda não começou

A InBev ainda não iniciounegociações com a Anheuser-Busch, mas está considerando aaquisição da cervejaria norte-americana, informou uma fontepróxima da situação nesta terça-feira. A fonte também informou que o conselho de administração dacervejaria belga InBev ainda não votou sobre uma eventualaproximação da companhia na direção da Anheuser, maiorcervejaria dos Estados Unidos. A InBev também não decidiu, afirmou a fonte, se vai buscara aquisição de outras companhias no caso de um acordo com aAnheuser fracassar, como foi publicado no fim de semana peloFinancial Times. Citando fonte próxima do assunto, o jornal publicou que aInBev e SABMiller tiveram discussões sobre um acordo, mas oprogresso das conversas foi interrompido por planos daSABMiller de fundir suas operações norte-americanas com as daMolson Coors Brewing . As ações da SABMiller dispararam mais de 8 por cento nestaterça-feira. Já os papéis da Anheuser registravam valorizaçãode 0,09 por cento no meio da tarde, para 56,66 dólares.Enquanto isso, as ações da InBev caíram 1,9 por cento. O jornal belga de negócios De Tijd publicou nestaterça-feira que o conselho da InBev estaria para se decidirsobre a permissão de seus conselheiros para iniciar negociaçõescom a Anheuser, mas a publicação não revelou suas fontes. Uma porta-voz da InBev preferiu não comentar o assunto eafirmou que não é política da empresa divulgar quando ocorreuma reunião do conselho. O Financial Times publicou na última sexta-feira que aInBev estava considerando uma oferta de 65 dólares por açãopela empresa norte-americana e que um pacote de financiamentode 50 bilhões de dólares foi acertado provisoriamente junto aoJPMorgan e Santander. A cervejaria belga não exclui apossibilidade de uma oferta hostil, segundo o jornal. A InBev, criada em 2004 pela fusão da belga Interbrew com abrasileira AmBev, possui uma fração do mercado norte-americano,mas possui negócios maduros na Europa ocidental. A companhiaainda está presente em mercados de crescimento no lesteeuropeu, Ásia e América Latina. A Anheuser domina o mercado nos Estados Unidos e possui umaparticipação na chinesa Tsingtao, mas a empresa tem enfrentadoum abandono pelos norte-americanos de cervejas locais, queestão preferindo mais vinho, destilados e cervejasestrangeiras. (Reportagem adicional de Dan Lalor, Philip Blenkinsop,Eleanor Wason e Martinne Geller)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.