Incêndio no Porto de Santos destrói armazém com 50 mil toneladas de açúcar

Incêndio no Porto de Santos destrói armazém com 50 mil toneladas de açúcar

Segundo incêndio em terminal de açúcar em Santos em três meses destruiu completamente o terminal de exportação da Cargill

Reuters e Agência Estado

20 de outubro de 2014 | 11h20


Um incêndio atingiu na madrugada desta segunda-feira, 20, o Armazém III do Terminal de Exportação de Açúcar do Guarujá (Teag), administrado pela Cargill. 

De acordo com a assessoria de imprensa do terminal, 50 mil toneladas do produto estavam estocadas no local, que foi totalmente destruído. Não houve vítimas.

Segundo a assessoria, as chamas começaram por volta das 5h e foram controladas no início da manhã. 

O fogo no armazém foi debelado antes de as chamas chegarem a um outro silo, afirmou a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), acrescentando que os bombeiros estão trabalhando no rescaldo.

"O armazém inteiro foi queimado", informou a assessoria de imprensa da Codesp. Ainda não há confirmação sobre danos ao equipamento usado para carregar o produto, conhecido como "shiploader".

O Terminal Exportador de Açúcar do Guarujá (Teag) é uma joint venture em partes iguais entre Cargill e a Biosev, subsidiária da Louis Dreyfus.

"Não houve feridos. Os bombeiros já controlaram o fogo, que não atingiu o segundo armazém. A causa do incêndio está sendo apurada, bem como a quantidade de açúcar atingida. O Teag conta com seguro para as edificações, equipamentos e estoque", informou a Cargill em nota.

O armazém atingido tem capacidade para 110 mil toneladas, disse a analista Nicolle Castro, da SA Commodities, que monitora o movimento de navios de açúcar nos portos brasileiros.

O primeiro contrato do açúcar bruto negociado em Nova York não mostrou reação imediata às notícias do incêndio. Por volta das 10h20, operava em leve alta de 0,24%, a 16,66 centavos de dólar. 

Tudo o que sabemos sobre:
AçúcarPorto de Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.