Indicador aponta contração da economia da zona do euro

 Indicador Eurocoin de dezembro ficou estável em -0,20%

Carlos Mercuri, da Agência Estado,

30 de dezembro de 2011 | 09h03

A economia da zona do euro continuou a contrair em dezembro, embora não tão intensamente quanto no mês anterior, de acordo com a medição da atividade compilada pelo Centro de Pesquisa de Política Econômica (CEPR, na sigla em inglês) e pelo  Banco da Itália, que informaram que o indicador Eurocoin para o último mês do ano ficou estável em -0,20%, tendo caído constantemente desde junho.

O indicador Eurocoin destina-se a estimar o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) trimestre ante trimestre, excluindo componentes erráticos, como variações sazonais e volatilidades de curto prazo.

O dado aponta para uma contração na zona do euro em cada um dos três meses do quarto trimestre, e está consistente com outras medidas temporais de atividade, como pesquisas de gerentes de compras.

No entanto, a estabilização na medida pode indicar que, embora a produtividade esteja caindo em face da crise fiscal na área do euro e seu consequente aperto do crédito, não o está fazendo em um ritmo crescente.

O CEPR e o Banco da Itália disseram que o principal fator a dar suporte à economia é a recente melhoria em algumas pesquisas de confiança dos empresários, como o do instituto Ifo, que mede a confiança do industrial alemão.

"Entre as principais variáveis que compõem o indicador, o resultado reflete a melhora em algumas pesquisas qualitativas de empresas industriais e de serviços, que compensou a piora nos indicadores de demanda", disseram o CEPR e do Banco da Itália.

No terceiro trimestre, a economia da zona do euro cresceu 0,2%. Dados oficiais para o quarto trimestre não serão divulgados antes de 15 de fevereiro de 2012, mas a ameaça de recessão já levou o Banco Central Europeu a cortar sua taxa básica de juros em novembro e dezembro. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
zona do euroatividade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.