Índices dos EUA recuam com dúvidas sobre possível ação do Fed

As ações norte-americanas fecharam em baixa nesta quinta-feira, com menores expectativas de ação do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, e com dados sobre as economias chinesa e da zona do euro indicando uma desaceleração na economia mundial.

CHUCK MIKOLAJCZAK, Reuters

23 de agosto de 2012 | 17h56

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,88 por cento, para 13.057 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,81 por cento, para 1.402 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,66 por cento, para 3.053 pontos.

Todos os dez principais setores do S&P 500 fecharam em território negativo, com o setor de matérias-primas, sensível à economia, tendo a pior performance, recuando 1,7 por cento.

Uma queda na ação da HP pesou no setor de tecnologia, mas o índice S&P 500 continuou acima do nível de apoio de 1.400 pontos, o que é visto como um sinal positivo.

A ata da última reunião com Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed indicou que o banco central pode estar pronto para mais uma rodada de estímulos à economia, o que impulsionou as ações na quarta-feira. Investidores especularam que mais uma rodada de quantitative easing pelo Fed é uma possibilidade.

Entretanto, o presidente do Fed de St. Louis, James Bullard, um membro sem direito de voto do Fomc, disse à rede de televisão CNBC que os dados sobre a economia dos Estados Unidos têm se mostrado mais positivos desde a reunião de 31 de julho e 1o de agosto, e que a ata está "um pouco desatualizada".

"Você pode definitivamente tentar ligar (o declínio) com os comentários de Bullard nesta manhã, que pareciam ter o objetivo de acalmar as expectativas", disse o co-chefe de ações dos EUA do First New York Securities, Seth Setrakian.

"Esse é um movimento apropriado? Por que não? Houve um rali devido a expectativas de que coisas iriam acontecer, não porque as coisas estão melhorando", adicionou.

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.