Indústria diminui ritmo de expansão em setembro

Indicador registrou 53 pontos no mês passado, ante 55,1 em agosto, aponta sondagem da CNI

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

27 de outubro de 2010 | 15h10

A atividade industrial manteve crescimento em setembro, mas diminuiu o ritmo de expansão em relação a agosto, de acordo com sondagem divulgada nesta quarta-feira, 27, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em uma escala onde valores acima de 50 pontos significam aumento na produção, o indicador de setembro registrou 53 pontos, ante 55,1 pontos em agosto.

O resultado também ficou abaixo da média histórica medida pela sondagem, de 53,6%. Segundo a CNI, porém, a indústria mantém "uma trajetória de expansão disseminada", sendo que 19 dos 26 setores pesquisados apresentaram aumento de produção em setembro. Além disso, as pequenas empresas, que haviam interrompido a expansão no segundo trimestre deste ano, voltaram a registrar variação positiva entre julho e setembro.

O documento ressalta que é usual o aumento da atividade industrial entre o segundo e o terceiro trimestre, por conta das encomendas para o fim do ano. Com isso, o número de empregados na indústria também cresceu no terceiro trimestre, com indicador em 55,2 pontos. O ritmo de expansão superou o do trimestre anterior, quando a média da variável foi de 54,6 pontos. De acordo com a sondagem, esse foi o quinto trimestre consecutivo de expansão no emprego industrial.

Da mesma forma, o uso da capacidade instalada no terceiro trimestre ficou próximo do usual para o período. Em setembro, o indicador registrou 50,4 pontos, praticamente em cima do ponto de referência de 50 pontos. De acordo com a CNI, a indústria operou com 76% do parque instalado no terceiro trimestre, pouco acima da média histórica do indicador, de 74%. Em relação ao terceiro trimestre de 2008 - período imediatamente anterior à crise - a utilização da capacidade ainda foi dois pontos percentuais inferior.

Mesmo com o aumento da produção e do uso da capacidade em setembro, a indústria conseguiu eliminar os estoques indesejados. Segundo a sondagem, os estoques ficaram dentro do planejado, com indicador em 50,2 pontos. Na média do terceiro trimestre, porém, a variável chegou a 51,2 pontos, acima da média histórica de 49,7 pontos.

 
Tudo o que sabemos sobre:
IndústriaCNIsondagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.