Indústria paulista fecha 11,4 mil postos em outubro, diz Caged

Segundo o ministro Carlos Lupi, empresários deixaram de contratar devido a queda no ritmo das encomendas

Célia Froufe, da Agência Estado,

18 de novembro de 2011 | 18h03

Maior parque industrial do País, o Estado São Paulo foi quem mais sofreu com os impactos da crise internacional sobre o mercado de trabalho no mês passado. Em outubro, foram fechados 11,4 mil postos na indústria paulista, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que o Ministério do Trabalho divulgou nesta sexta-feira, 18.

No geral, o Estado foi responsável 22,9 mil empregos em outubro. "No mesmo mês do ano passado foi praticamente o dobro", comparou o ministro Carlos Lupi. O que salvou o resultado ainda positivo foi o desempenho dos setores de serviços (28,6 mil vagas), comércio (15,9 mil) e construção civil (1,6 mil), já que a agropecuária paulista também puxou para baixo o volume de novas vagas, com a demissão de 12,5 mil pessoas a mais do que as contratações.

O enxugamento dos postos da indústria ocorre apesar da proximidade do Natal, quando a produção atinge o auge da capacidade para abastecer o comércio. A média mensal das contratações acima das demissões em todo o Brasil foi de 44,7 mil ao longo do ano até setembro, quando chegou a 68,1 mil vagas. Em outubro, foram magros 5,2 mil.

Segundo Lupi, o ritmo das encomendas está em queda e os empresários deixam de contratar, preocupados com a redução da atividade. "Os setores de metalurgia e metalomecânica são os que mais sentem a crise", pontuou.

Tudo o que sabemos sobre:
industriasão paulocagedempregos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.