Inflação acelera em 5 dos 9 grupos do IPCA-15 em dezembro

Em Habitação, o destaque em dezembro foi o reajuste nas tarifas da energia elétrica de 0,09% para 1,72%, com aumentos nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro e Belém  

Daniela Amorim, da Agência Estado,

19 de dezembro de 2012 | 10h16

RIO - Cinco entre nove grupos que compõem o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registraram aumento nas taxas de variação na passagem de novembro para dezembro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além dos grupos Despesas Pessoais (de 0,30% em novembro para 1,10% em dezembro) e Alimentação e Bebidas (de 0,83% para 0,97%), houve aceleração no ritmo de preços ainda em Habitação (de 0,33% para 0,74%), Transportes (de 0,47% para 0,71%) e Educação (de 0,04% para 0,10%).

Em Habitação, o destaque em dezembro foi o reajuste nas tarifas da energia elétrica (de 0,09% para 1,72%), com aumentos nas regiões metropolitanas do Rio de Janeiro (7,07%) e Belém (4,16%). No ano, a alta de 6,67% no grupo foi puxada pela alta no aluguel residencial (8,98%) e na mão de obra para pequenos reparos (11,72%), segundo o IBGE.

O grupo Transporte voltou a sofrer o impacto das passagens aéreas, que ficaram 17,08% mais caras em dezembro, após uma alta de 11,80% em novembro. No ano, entretanto, as despesas com o grupo Transporte acumularam alta de apenas 0,63%, contidas, entre outros itens, pela queda dos automóveis novos (-5,82%) e usados (-10,36%). Já o grupo Educação, apesar da alta de apenas 0,10% em dezembro, fechou 2012 com um aumento de 7,70%.

Na direção oposta, o grupo Vestuário registrou desaceleração de 1,40% em novembro para 0,62% em dezembro, com aumento acumulado de 6,39% em 2012. Os artigos de residência também subiram menos (de 0,58% em novembro para 0,11% em dezembro), fechando o ano com uma queda de 0,18%, o menor resultado no IPCA-15 do período.

A variação do grupo Saúde e cuidados pessoais passou de 0,36% em novembro para 0,26% em dezembro, com alta acumulada de 5,90% no ano, enquanto comunicação saiu de 0,30% para 0,26%, com fechamento de 1,11% em 2012.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.