Inflação de São Paulo sobe 0,10% em maio e 5,11% em 12 meses

Em 12 meses, os gastos com Alimentação lideraram a lista das maiores altas no IPC-Fipe, acumulando avanço de 12,47%

05 de junho de 2013 | 06h10

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou alta de 0,10% em maio. Já em abril, o IPC havia apresentado um avanço de 0,28%. O resultado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) ficou abaixo do intervalo das estimativas de 20 instituições do mercado financeiro consultadas pelo AE Projeções, que oscilavam entre altas de 0,13% e 0,27%, com mediana em 0,20%. Na comparação com a terceira quadrissemana de maio, o IPC teve uma alta menor, pois o índice apresentou alta de 0,18% naquela leitura.

Habitação e Alimentação fecharam o mês de maio em terreno negativo. Depois de atingir uma alta de 0,25% em abril, Habitação registrou uma queda de 0,05% na terceira quadrissemana de maio e fechou o mês em baixa de 0,01%. Alimentação, por sua vez, encerrou o mês de maio com recuo de 0,28%, após registrar baixa de 0,07% na terceira quadrissemana de maio e alta de 0,20% em abril.

Transportes e Educação tiveram altas cada vez menores na comparação entre o fechamento de abril, a terceira quadrissemana de maio e a última leitura do mês. Transportes passou de uma alta de 0,28% em abril para 0,19% na terceira quadrissemana de maio e fechou o mês em alta de apenas 0,04%. Já Educação atingiu 0,18% em abril, caiu para uma alta de 0,05% na terceira leitura de maio e terminou o mês com avanço de 0,03%.

Vestuário, por outro lado, teve altas cada vez maiores na comparação entre as três leituras. Após atingir 0,19% em abril, avançou para 0,66% na terceira leitura do mês e fechou maio com alta de 0,88%.

Despesas Pessoais teve uma alta de 0,30% no fechamento de maio, depois de um avanço de 0,34% na terceira leitura do mês e uma queda de 0,12% na leitura de abril.

Saúde encerrou o mês de maio em alta de 0,94%, com avanços de 1,33% e 1,31% na terceira quadrissemana de maio e na última leitura de abril, respectivamente.

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC no mês de maio:

Habitação: -0,01%

Alimentação: -0,28%

Transportes: 0,04%

Despesas Pessoais: 0,30%

Saúde: 0,94%

Vestuário: 0,88%

Educação: 0,03%

Índice Geral: 0,10%

Acumulado no ano

O IPC-Fipe acumula altas de 1,57% no acumulado do ano e de 5,11% no acumulado de 12 meses encerrados em maio.

Dentre os grupos que fazem parte do IPC, o que apresentou a maior alta no acumulado do ano foi Educação (6,73%), seguido por Saúde (3,54%), Alimentação (3,17%), Transportes (1,69%), Vestuário (1,53%) e Despesas Pessoais (1,45%). Habitação foi o único grupo com queda (-0,67%).

12 meses

Já na comparação de 12 meses terminados em maio, a Fipe mostra que os gastos com Alimentação lideraram a lista das maiores altas no IPC, acumulando avanço de 12,47%. O grupo Educação veio em seguida, com 8,00%, acompanhado por Despesas Pessoais (7,51%). O grupo Saúde acumula acréscimo de 6,68% em 12 meses encerrados em maio. Vestuário subiu 3,78%, Habitação, 0,75%, e Transportes, 1,31%.

Tudo o que sabemos sobre:
ipcfipeinflaçãoacumulado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.