Inflação em 12 meses deve atingir pico por volta de agosto, diz Tombini

Presidente do BC acrescentou que, provavelmente, a taxa de inflação não cairá para 4,5% até 2012

Cynthia Decloedt e Regina Cardeal, da Agência Estado,

19 de maio de 2011 | 11h53

A taxa anual de inflação deve atingir seu pico em agosto refletindo melhora no cenário de preços, disse o presidente do banco central, Alexandre Tombini, em entrevista concedida a jornalistas da imprensa estrangeira. Tombini disse que "ainda temos trabalho à nossa frente", em referência aos esforços para combater a inflação, mas observou que a taxa, na comparação mensal, deve ficar compatível com a meta da margem nos próximos meses. Tombini acrescentou que, provavelmente, a taxa de inflação não cairá para 4,5% até 2012.

PIB

Na avaliação de Tombini, o Brasil registrou forte crescimento econômico no primeiro trimestre. A expansão no período ficou "na ponta alta" e é compatível com a estimativa de crescimento do governo para o quarto trimestre de 2011, disse Tombini.

Os recentes aumentos de juro pelo BC, assim como medidas para conter a expansão do crédito e desacelerar a economia provavelmente terão um efeito maior no segundo semestre de 2011, afirmou Tombini. "Nós vemos moderação do crescimento em linha com as previsões", afirmou Tombini.

Câmbio

O presidente do BC diz ainda que as moedas de mercados emergentes, como Brasil e China, serão cada vez mais aceitáveis ao redor do mundo, dado o crescimento das suas economias e indústrias financeiras.

"A internacionalização de moedas, como o yuan e o real, no futuro é inexorável tendo em vista o peso relativo dessas economias (e) de seus setores financeiros", afirmou Tombini.

"Então, nós veremos no futuro uma maior aceitação de moedas, como o real, o yuan e outras", acrescentou.

Segundo Tombini, o uso da negociação bilateral entre real e yuan é possível, mas limitado.

"Em relação à China, nós temos tido uma relação muito complementar até agora, no que diz respeito ao comércio exterior e investimento", destacou o presidente do BC. As informações são da Dow Jones.

(Texto atualizado às 13h00)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.