Inflação pelo IGP-10 sobe 11,16% em 2010 e tem maior nível em 6 anos

Em dezembro, o indicador subiu 1,27% ante alta de 1,16% em novembro 

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

16 de dezembro de 2010 | 08h14

A inflação medida pelo IGP-10 em 2010 terminou o ano com avanço de 11,16%, resultado bem diferente da evolução de preços em 2009, quando encerrou em deflação (-1,68%) pela primeira vez em sua história, iniciada em 1993. A informação foi divulgada há pouco pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que anunciou nesta quinta-feira, 16, o seu primeiro indicador fechado de inflação do ano. Este foi o maior resultado anual do IGP-10 desde o ano de 2004, quando o indicador subiu 12,42%.

A fundação também anunciou o resultado mensal de dezembro do indicador, que subiu 1,27% ante alta de 1,16% em novembro. O resultado de dezembro ficou dentro das previsões dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam uma taxa entre 1,15% e 1,49%, e colado à mediana das expectativas (1,28%).

Atacado

O IPA-10 teve alta de 1,46% em dezembro, em comparação com a alta de 1,49% em novembro.

Ao falar sobre a evolução de preços no atacado em dezembro deste ano, a FGV informou ainda que, entre os produtos pesquisados, as altas mais expressivas de preço foram registradas em carne bovina (11,79%); soja em grão (5,42%); e bovinos (5,44%). Já as mais expressivas quedas de preço no atacado foram verificadas em minério de ferro (-5,66%); feijão em grão (-21,33%); e uva (-11,39%).

Varejo

Por sua vez, o IPC-10 apresentou elevação de 1,05% em dezembro, quase o dobro do avanço de 0,62% em novembro.

Na análise por produtos, as altas de preço mais expressivas no varejo no IGP-10 de dezembro foram registradas em alcatra (12,12%); açúcar refinado (10,77%); e aluguel residencial (0,85%). Já as mais significativas quedas de preço foram apuradas em feijão carioquinha (-8,32%); vagem-comum (-12,60%); e pimentão (-6,22%).

Construção

Já o INCC-10 subiu 0,49% em dezembro, ante aumento de 0,24% em novembro.

A FGV informou que, entre os produtos pesquisados na construção, as altas de preço mais expressivas apuradas pelo IGP-10 de dezembro foram registradas em ajudante especializado (0,98%); servente (0,86%); e carpinteiro - fôrma, esquadria e telhado (0,80%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em vergalhões e arames de aço ao carbono (-2,06%); esquadrias de alumínio (-0,21%); e massa corrida para parede - PVA (-0,69%).

Produtos agrícolas

A inflação dos preços dos produtos agrícolas perdeu fôlego no atacado e avançou  3,39% em dezembro, em comparação com o aumento de 4,52% em novembro, no âmbito do IGP-10. Porém, a FGV informou que os preços dos produtos industriais no atacado assumiram trajetória oposta. A taxa de inflação industrial atacadista saltou de 0,46% para 0,78%, de novembro para dezembro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais subiram  0,52% em dezembro, ante aumento de 1,20% em novembro. Por sua vez, os preços dos bens intermediários tiveram alta de 1,05% em dezembro, ante elevação de 0,54% em novembro. Já os preços das matérias primas brutas subiram 3,14% em dezembro, aumento idêntico ao apurado por este tipo de produto em novembro. 

Tudo o que sabemos sobre:
igp-1oinflaçãofgv

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.