Inflação se desloca para a trajetória da meta, diz BC

Segundo Alexandre Tombini, a inflação acumulada em 12 meses começa a recuar a partir deste mês

Ricardo Leopoldo, da Agência Estado,

31 de outubro de 2011 | 14h10

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, afirmou nesta segunda-feira, 31, que a inflação está em queda e em processo de convergência à meta de 4,5% para 2012. "Após alcançar o nível máximo no terceiro trimestre, a inflação acumulada em 12 meses começa a recuar a partir de outubro, e, assim, a se deslocar na trajetória de metas", afirmou, em palestra num evento promovido pela Associação Brasileira de Bancos Internacionais (ABBI) em São Paulo.   

"Essa inversão de tendência por si só contribuirá para melhorar as expectativas dos agentes econômicos e, em especial, dos formadores de preços sobre a dinâmica da inflação nos próximos trimestres", acrescentou o presidente do BC.

No Brasil, os agentes econômicos já começam a entender os pontos de vista do BC que levam a autoridade monetária a prever que o IPCA atingirá 4,7% no último trimestre de 2012. Além de comentários feitos por vários especialistas à Agência Estado, a mediana das expectativas para o índice obtida pela pesquisa Focus aponta uma leve queda, de 5,61% para 5,59%, nas duas últimas semanas, após a redução da Selic de 12,00% para 11,50% ao ano no dia 19 de outubro. As projeções dos analistas que estão na categoria Top 5 caíram com maior vigor, de 5,74% para 5,62% no período.

Juros

Tombini disse também que a política de ajustes monetários das taxas de juros vão colaborar para que a inflação convirja à meta de 4,5% em 2012. "A melhora no sentimento sobre a inflação será potencializada pelo processo ora em curso de reavaliação do ritmo de atividade doméstica e externa", destacou.

Ele destacou ainda que a alta de 1,75 ponto porcentual dos juros de janeiro a julho, "cujos efeitos ainda serão plenamente absorvidos" pela economia, aliado a ações macroprudenciais para reduzir o ritmo da concessão de crédito, e "as iniciativas recentes de contenção de despesas do setor público", junto com a substancial deterioração do cenário internacional, representam importantes fatores de contenção da demanda. "Diante desse quadro, o BC entende que ajustes moderados no nível da taxa básica são consistentes com o cenário de convergência da inflação para a meta em 2012", afirmou.

Para chegar a conclusão de que a inflação vai convergir à meta de 4,5% em 2012, o BC utiliza, entre outros instrumentos, modelos econométricos estocásticos de equilíbrio parcial e geral. Um dos modelos de equilíbrio geral empregado é o Modelo Analítico Estocástico com Abordagem Bayesiana (SAMBA, na sigla em inglês), que foi apresentado pelo BC ao mundo financeiro e acadêmico em abril deste ano, no texto para discussão 239 disponível no site do Banco Central.

De acordo com o texto original do working paper 239, seus cinco autores apontam que na especificação do modelo foram utilizadas 23 variáveis, sendo 18 relativas à economia do Brasil, como PIB, consumo doméstico e investimentos, e cinco externas. As observações são trimestrais e variam do terceiro trimestre de 1999 até o segundo trimestre de 2010. O modelo apresenta um total de 118 parâmetros, dos quais 81 são estimados e 37 são calibrados.

 

(Texto atualizado às 14h29)

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoconvergênciametatombini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.