Inflação semanal acelera para 0,53% na terceira prévia do mês

Alimentação e Vestuário foram os itens que mais pressionaram a aceleração do Índice de Preços ao Consumidor - Semanal

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

24 de setembro de 2012 | 08h18

SÃO PAULO - A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ficou em 0,53% na terceira quadrissemana de setembro, informou nesta segunda-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). No período anterior, encerrado no dia 15 do mesmo mês, a alta dos preços foi de 0,49%.

Das oito classes de despesas que compõem o dado, seis apresentaram aceleração em suas taxas de variação na comparação com a segunda quadrissemana de setembro. Dois grupos registraram desaceleração de preços no período.

Alimentos

Os preços dos alimentos seguem como fatores de pressão de alta para o IPC-S. O grupo Alimentação subiu 1,28% no índice divulgado hoje, 0,03 ponto porcentual acima do verificado na segunda quadrissemana (1,25%) e, junto com Vestuário, que passou de 0,20% para uma alta de 0,64% no período, levaram o IPC-S a apresentar variação de 0,53% ante avanço de 0,49% registrado na leitura anterior.

Entre os alimentos, a carne bovina volta a ser destaque ao variar 2,58% na terceira quadrissemana de setembro ante 1,91% registrado na leitura anterior, do último dia 15. Dentro do grupo Vestuário, contribuiu para a aceleração de preços nesta classe de despesa o item roupas, cuja variação saiu de -0,02% na segunda quadrissemana para 0,69% na terceira.

Também apresentaram aceleração da alta de preços os grupos Habitação (de 0,34% para 0,37%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,29% para 0,38%), Despesas Diversas (de 0,20% para 0,23%) e Comunicação (de 0,20% para 0,27%). Em cada um desses grupos, o respectivo destaque ficou com empregada doméstica mensalista (0,19% para 0,48%), artigos de higiene e cuidado pessoal (-0,03% para +0,22%), alimentos para animais domésticos (-0,18% para 0,37%) e tarifa de telefone móvel (0,28% para 0,48%).

Desaceleração

Por outro lado, houve desaceleração de preços nesta terceira quadrissemana do mês sobre a anterior em Transportes (0,15% para 0,11%) e Educação, Leitura e Recreação (0,27% para 0,11%), com suas maiores influências vindas de automóvel usado (-0,13% para -0,42%) e passagem aérea (-0,81% para -5,26%), respectivamente.

Os cinco itens que exerceram as maiores pressões de alta no IPC-S foram batata-inglesa (de 22,95% para 24,38%), plano e seguro de saúde (de 0,62% para 0,63%), cebola (de 10,14% para 18,59%), pão francês (de 2,73% para 2,47%) e refeições em bares e restaurantes (de 0,30% para 0,29%). Já as maiores contribuições para segurar o IPC-S nesta terceira quadrissemana vieram de tomate (de 1,56% para -5,68%), alface (de -7,15% para -7,79%), perfume (de -1,49% para -1,23%), passagem aérea (de -0,81% para -5,26%) e automóvel usado (de -0,13% para -0,42%).

Tudo o que sabemos sobre:
inflaçãoIPC-S3ª préviaFGV

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.