Inflação semanal repete alta de 0,27% da pesquisa anterior

O item aluguel residencial figurou entre as cinco principais influências positivas no IPC-S 

Renan Carreira, Agência Estado

23 de setembro de 2013 | 08h20

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) ficou em 0,27% na terceira quadrissemana de setembro, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira, 23. O resultado repetiu a taxa de variação da segunda quadrissemana do mês.

Das oito classes de despesas analisadas, quatro apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: Habitação (de 0,40% para 0,43%), Transportes (de -0,09% para -0,02%), Vestuário (de 0,47% para 0,65%) e Comunicação (de 0,03% para 0,14%).

Registraram decréscimo em suas taxas de variação os grupos Educação, Leitura e Recreação (de 0,49% para 0,21%), Alimentação (de 0,23% para 0,20%) e Despesas Diversas (de 0,28% para 0,22%). O grupo Saúde e Cuidados Pessoais repetiu a taxa de variação verificada na última apuração, de 0,43%.  

Aluguel

O item aluguel residencial, que passou de 0,58% na segunda quadrissemana de setembro para 0,61% na terceira, figurou entre as cinco principais influências positivas no IPC-S. Completam a lista das maiores influências positivas os itens plano e seguro de saúde (que repetiu a taxa de variação de 0,67%), refeições em bares e restaurantes (de 1,03% para 0,94%), tarifa de eletricidade residencial (de 0,85% para 0,81%) e leite tipo longa vida (de 2,25% para 1,97%), embora esses três últimos itens tenham apresentado desaceleração.

Já os cinco itens com as maiores influências negativas foram batata-inglesa (de -16,75% para -19,58%), feijão carioca (de -14,81% para -17,86%), tomate (de -10,50% para -9,35%), cenoura (de -10,26 para -15,78) e cebola (de -16,06% para -9,81%).

Dentro das quatro classes de despesas que registraram aceleração, a FGV destacou o comportamento dos itens móveis para residência (de 0,02% para 0,50%), no grupo Habitação, automóvel usado (de -0,80% para -0,28%), no grupo Transportes, calçados (de 0,23% para 0,52%), no grupo Vestuário, e pacotes de telefonia fixa e internet (de 1,13% para 1,68%), no grupo Comunicação.

Já dentro das três classes de despesas que recuaram na passagem da segunda para a terceira quadrissemana do mês, a FGV destacou os itens show musical (de 2,53% para -0,13%), no grupo Educação, Leitura e Recreação, hortaliças e legumes (de -9,20% para -10,32%), no grupo Alimentação, e alimentos para animais domésticos (de 0,57% para 0,35%), no grupo Despesas Diversas.

A FGV informou ainda que as principais influências em sentido ascendente e descendente dentro do grupo Saúde e Cuidados Pessoais, que repetiu a taxa de variação apurada na última divulgação, de 0,43%, foram salão de beleza (de 0,36% para 0,63%) e psicólogo (de 0,64% para estabilidade), respectivamente.

Tudo o que sabemos sobre:
IPC-S

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.