Interação: Sebrae responde dúvidas sobre empreendedorismo dos leitores do PME

Quarta parte da série aborda questões sobre abertura de empresa e automação

ESTADÃO PME, O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2015 | 07h07

 

A ação entre Estadão PME e Sebrae-SP de responder às principais dúvidas dos empreendedores entra em sua quarta parte. Entre os dias 6 e 16 de janeiro, foram enviadas perguntas por e-mail, pelos comentários no site e nas redes sociais para que consultores da instituição pudessem esclarecê-las aos leitores do site.

Ao longo desta semana, duas respostas são publicadas por dia, e as de hoje são sobre abertura de empresa e automação de processos dentro de hotéis.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O Sebare-SP já faz consultorias gratuitamente, seja presencialmente em suas unidades espalhadas pelo estado ou pelo telefone (0800-570-0800). Em 2013, os consultores atenderam 467 mil empresas, além de 210 mil pessoas físicas interessadas em abrir o seu próprio negócio.

:: Confira as perguntas desta quarta parte da ação ::

Qual a maneira mais rápida e barata para se abrir formalmente uma empresa de consultoria em projetos e qual a tributação aplicável a este tipo de empresa?

Autor: Victor Tseimazides

Resposta: Não há uma forma mais rápida ou barata para se abrir uma empresa. O que se pode analisar é a forma mais conveniente para esta formalização. Isso ocorre pois, dependendo do tipo de empresa, o caminho da formalização não permitirá opções. Entretanto, falando em conveniência, salienta-se que o processo de abertura poderá ser feito tanto pelo empreendedor ou pelo contador, que deverá ser contratado. Vale reforçar que a abertura procedida por um profissional tende a ser mais segura, em razão de sua experiência neste tipo de procedimento.

Mas antes de se iniciar o processo de abertura, sendo sociedade ou empresa individual, você deverá delimitar os sócios (caso haja), nome da empresa, atividade que será exercida e o endereço. Estas informações são essenciais para a formalização. Assim, o contador entenderá onde proceder o registro - na Junta Comercial ou no Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas, através do Contrato Social ou da Declaração de Empresa Individual.

Se tratando, no caso, de uma empresa de consultoria em projetos, ela se enquadra no ramo de atividade serviços. Assim, após a homologação, haverá a necessidade de se registrar a empresa no CNPJ, INSS, FGTS e fazer a Inscrição Municipal, com o fim de emissão de nota fiscal. E não há prazo legal que delimite o tempo deste processo, contudo, entre 25 a 45 dias a empresa poderá estar totalmente formalizada. Em se tratando de empresa de serviços, os impostos incidentes são a IRPJ, CSLL, PIS, COFINS e ISS.

Interessante ressaltar que através da alteração promovida pela Lei Complementar 147/14, as empresas de consultoria poderão optar pelo Simples Nacional, com base no Anexo VI, onde a primeira faixa de faturamento (até 180 mil em 12 meses) é taxada a alíquota de 16,93%. O Simples Nacional sempre é uma boa opção, mas nem sempre. Existe ainda a possibilidade de escolha dos regimes tributários do Lucro Presumido ou Lucro Real, contudo é interessante pedir para contador fazer um estudo tributário da sua empresa.

Crédito: Arthur Bezerra de Souza Junior, consultor do Sebrae-SP

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Até que ponto o empreendedor que atua no setor horteleiro pode apostar na automação do processos internos, como cadastro e softwares de gestão de hóspedes?

Autor: Antônio Pereira

Resposta: Hoteleiros têm observado o surgimento de rotinas de trabalho que não existiam há alguns anos. Além das rotinas tradicionais como a gestão operacional, com a expansão do volume de vendas através dos canais eletrônicos de distribuição, boa parte do tempo diário do empreendedor passou a ser dedicado à gestão de inventário e preços nestes canais. Outra rotina que tem tomado parte do tempo do empreendedor hoteleiro é a gestão do relacionamento com clientes, feita através da gestão de mídias sociais.

Com isto, o empreendedor precisa ser eficiente na gestão de seu tempo e uma forma de fazer é automatizar a gestão do inventário (disponibilidade de apartamentos), utilizando softwares que permitam tanto gerenciar as informações de hóspedes, quanto a gestão do inventário, que permitirá atuar de forma integrada aos canais de vendas eletrônicos. Neste último caso, uma especial atenção ao desenvolvimento da tecnologia da comunicação entre os sistemas de gestão hoteleira (chamados PMS – property management sistems) e os sistemas das agências on line.

A evolução que houve nos últimos anos tem permitido ao hoteleiro gerenciar sua disponibilidade em uma única plataforma, a partir de um único lançamento e vê-la integrada às mais diversas agências on line e outras distribuidoras. Estes sistemas já são acessíveis aos pequenos empreendedores do setor e podem fazer total diferença tanto na qualidade da gestão, quanto na capacidade de geração de caixa. O mercado evoluiu tanto nestes últimos anos que já é quase obrigatório investir na adoção de sistemas que automatizem estes procedimentos, permitindo ao hoteleiro se dedicar mais às questões estratégicas.

Crédito: Alexandre Nunes Robazza, consultor do Sebrae-SP

SERVIÇO

Feira do Empreendedor

Local: Expo Center Norte - Pavilhão Verde, São Paulo

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme

Data: de 07 a 10 de fevereiro

Sábado a terça-feira: 10h às 21h

Entrada franca

Inscrições no site: feiradoempreendedor.sebraesp.com.br

Tudo o que sabemos sobre:
SebraeEmpreendedorismoNegócios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.