Investidores deixam rating do Brasil em segundo plano e bolsa sobe

Apesar do rebaixamento da nota de crédito do Brasil, o Ibovespa tem dia de alta influenciado pelos EUA 

Economia & Negócios,

25 de março de 2014 | 11h02

SÃO PAULO - Apesar do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela Standard & Poor's, a BM&FBovespa tem um dia de alta. O clima positivo nas bolsas dos EUA influenciam na alta das ações no Brasil, deixando em segundo plano a decisão da S&P.

Às 11h15, o Ibovespa avançava 0,78%, aos 48.373 pontos. Na Bovespa o destaque fica por conta de Vale ON e PNA, que subiam 1,28% e 1,40%, respectivamente. Os papéis da Petrobrás, empresa que também teve nota rebaixada, avançavam 1% os ON e 1,25% os PNA. As ações PNB da Eletrobrás recuavam 0,10%.

Nos EUA, S&P500 sobe 0,69% e Nasdaq, 1,05%.

O rating da dívida de longo prazo do País em moeda estrangeira foi rebaixado de BBB para BBB-. A perspectiva da nota agora é estável. Apesar do rebaixamento, o País se mantém dentro do grau de investimento, alcançado em 2008.

 

Tudo o que sabemos sobre:
bolsaações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.