Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Investidores japoneses desfazem-se de posições em real

Em setembro, fundos japoneses retirando cerca de US$ 1,3 bilhão de sua posição na moeda brasileira  

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

30 de setembro de 2011 | 15h52

A turbulência nos mercados globais está levando investidores japoneses a se desfazerem de posições em real, segundo dados divulgados nesta sexta-feira, 30, por bancos. Desde 2009, o real vinha sendo de longe a moeda favorita dos fundos mútuos de investimentos do Japão por conta das elevadas taxas de juro do Brasil.

Em agosto, 60% dos ativos de fundos com opções de hedge multicambial eram denominados em real, segundo a companhia de informações sobre fundos mútuos Lipper.

A seguir, o número começou a declinar, com os fundos japoneses retirando cerca de US$ 1,3 bilhão de suas posições em real durante setembro, de acordo com dados do JP Morgan. Desse total, cerca de US$ 515 milhões mantidos por fundos de hedge deixaram o real na semana encerrada em 28 de setembro, detalha o banco.

Apesar disso, economistas do Barclays Capital não acreditam que as saídas desses fundos se acelerarão ao ponto de se transformar num problema de médio prazo para o real. "Há ainda bons motivos de fundamentos para esperar que o real não sofrerá um sustentado fluxo de saídas em grande volume", avalia o banco em nota.

As retiradas coincidem com a recente depreciação do real em relação ao dólar.

No passado recente, investidores japoneses desfizeram-se de posições em real na esteira de episódios específicos, como a quebra do Lehman Brothers em 2008 e o terremoto seguido de tsunami de 11 de março no Japão. Em ambos os casos, porém, a saída do real foi temporária. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
investidoresjaponesesreal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.