Investidores preveem desaceleração no crescimento do Brasil

Pimco e BlackRock continuam, no entanto, vendo boas oportunidades de investimentos nos mercados de bônus e ações do País

Regina Cardeal, da Agência Estado,

14 de julho de 2011 | 13h30

Alguns grandes investidores em América Latina preveem uma desaceleração nas taxas de crescimento econômico do Brasil, mas continuam vendo boas oportunidades de investimentos nos mercados de bônus e ações do País.

Falando na conferência Bloomberg Brasil, em Nova York, Curtis Mewbourne, chefe de gestão de carteira do fundo de renda fixa Pimco, disse que espera alguma redução no ritmo de crescimento brasileiro daqui a um ano. Ele não descarta uma desaceleração forte no Brasil, mas disse que este cenário parece improvável.

"Embora haja uma chance de uma desaceleração mais acentuada, esta não é nossa projeção de base", disse. Mewbourne disse que os bônus do governo do país oferecem bom "risco/retorno". Além disso, o Brasil tem algumas companhias de classe mundial como a Vale, que podem tornar atraentes os investimentos em entidades corporativas, disse.

William Landers, gestor de carteira do BlackRock Latin America Fund, por sua vez, espera que as expectativas de inflação se orientem para baixo no Brasil. Ele disse que acredita que o mercado local de ações ainda é atraente. Landers disse que Itaú Unibanco Holding é o papel com a maior participação em seu portfólio. Landers acrescentou que vê valor no setor financeiro do Brasil. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
América LatinaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.