Investimento estrangeiro direto em setembro fica em US$ 5,4 bi, diz BC

No acumulado de janeiro a setembro, a entrada de IED foi de US$ 17,7 bilhões

Fabio Graner e Fernando Nakagawa, da Agência Estado,

25 de outubro de 2010 | 10h49

O ingresso de investimento estrangeiro direto (IED) somou US$ 5,391 bilhões em setembro, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 25, pelo Banco Central. Em igual mês do ano passado, as entradas de IED somaram US$ 1,816 bilhão. 

O montante superou o teto das previsões dos analistas de 12 instituições que informaram seus números ao AE Projeções. Nesse grupo, o teto previsto era de US$ 3,700 bilhões, com mediana calculada de US$ 2,750 bilhões.

No acumulado de janeiro a setembro, o saldo de recursos destinados à produção totalizou US$ 22,632 bilhões, o equivalente a 1,54% do Produto Interno Bruto (PIB). Nos nove primeiros meses de 2009, a entrada de IED foi de US$ 17,672 bilhões, o equivalente a 1,65% do PIB. Nos doze meses encerrados em setembro, o fluxo de IED foi de US$ 30,909 bilhões, o correspondente a 1,57% do PIB. 

Ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras somou US$ 4,410 bilhões em setembro. No mês em que a Petrobrás realizou a operação de aumento de capital, o grande fator de atração dos dólares foi o mercado interno, já que as ações negociadas exclusivamente no País atraíram US$ 8,189 bilhões no mês. Dessa forma, a posição estrangeira em ações brasileiras negociadas no exterior, como as ADRs, teve saída líquida de US$ 3,779 bilhões.

No acumulado de janeiro a setembro, estrangeiros aumentaram a posição em ações brasileiras em US$ 19,146 bilhões, sendo que os papéis negociados no Brasil atraíram novas posições, correspondente a US$ 21,628 bilhões. Já as ADRs registram saída líquida do investimento estrangeiro de US$ 2,482 bilhões.

Renda fixa

O investimento estrangeiro em títulos brasileiros de renda fixa, por sua vez, teve aumento líquido de US$ 4,193 bilhões em setembro. O montante é bastante superior ao registrado em setembro de 2009, quando o ingresso havia somado US$ 2,848 bilhões e comparável ao registrado nos nove primeiros meses do ano passado, quando essa aplicação recebeu US$ 5,426 bilhões.

De janeiro a setembro de 2010, a posição estrangeira em renda fixa aumentou em US$ 24, 075 bilhões.

Em setembro de 2010, os títulos de renda fixa negociados exclusivamente no Brasil registraram aumento líquido da posição estrangeira de US$ 1,074 bilhão. Nos nove meses do ano, o aumento atingiu US$ 13,054 bilhões.

O BC também informou que o aumento da posição em renda fixa brasileira negociada no exterior foi de US$ 3,118 bilhões em setembro e US$ 11,021 bilhões de janeiro a setembro.

Chama a atenção o fato de que, nos dias anteriores à adoção de novas alíquotas de IOF para o investimento estrangeiro em renda fixa, a maior parte dos dólares para este segmento foi destinada aos títulos negociados no exterior (US$ 3,118 bilhões), enquanto as aplicações no País atraíram cerca de um terço deste montante (US$ 1,074 bilhão).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.