IPCA-15 de setembro fica em 0,53%

Índice, que é prévia da inflação oficial, foi pressionado pelo preço das passagens aéreas. Com o resultado anunciado hoje, alta é de  7,33% em 12 meses - bem acima do teto da meta, em 6,5%

Daniela Amorim, da Agência Estado,

20 de setembro de 2011 | 09h13

Embora a alta de preços dos alimentos tenha voltado a pressionar a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15), a prévia do IPCA, o aumento nas passagens aéreas liderou a relação de principais impactos na taxa do mês de setembro, segundo dados divulgados nessa terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA-15 registrou alta de 0,53% em setembro, após uma variação de 0,27% em agosto.

Os voos para setembro subiram 23,40% em relação à média daqueles que foram disponibilizados para viagens ao longo de agosto. A alta fez o grupo Transportes acelerar a variação para 0,70%, após um resultado de apenas 0,03% em agosto. Os combustíveis também contribuíram para o aumento no grupo: o etanol subiu de 1,54% em agosto para 1,95% em setembro, enquanto a gasolina passou de uma queda de 0,17% em agosto para alta de 0,65% em setembro.

Os preços dos alimentos também pressionaram a inflação. O grupo Alimentação e Bebidas registrou alta de 0,72% em setembro, variação maior do que a verificada em agosto, de 0,21%. O resultado representou um impacto de 0,17 ponto porcentual no IPCA-15 do mês. Vários produtos ficaram mais caros, com destaque para açúcar cristal (4,72%) e refinado (4,59%), leite pasteurizado (2,64%), frango (2,51%), carnes (1,79%) e arroz (1,74%). No ano, o grupo Alimentação e Bebidas acumula alta de preços de 4,29%.

Com o resultado anunciado hoje, o IPCA-15 acumula alta de 5,04% no ano e de 7,33% em 12 meses até setembro, bem acima do teto da meta de inflação, em 6,5%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.