Irlanda escapa de recessão por pouco no segundo trimestre

País luta para gerar crescimento sustentável apesar do programa de austeridade adotado pelo governo; PIB recuou no primeiro trimestre e ficou estável no segundo

Sergio Caldas, da Agência Estado,

20 de setembro de 2012 | 11h53

DUBLIN - A economia da Irlanda escapou da recessão pela menor margem possível no segundo trimestre, com uma alta das exportações contrabalançada pela queda na demanda doméstica, segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo Escritório Central de Estatísticas (CSO, na sigla em inglês).

O Produto Interno Bruto (PIB) irlandês ficou estável no segundo trimestre em relação ao anterior, informou o CSO. Já a contração registrada no primeiro trimestre foi revisada para 0,7%, de 1,1% anteriormente. Na comparação com igual período do ano passado, a economia da Irlanda encolheu 1,1% no segundo trimestre.

De modo geral, os economistas consideram que uma recessão é caracterizada por dois trimestres seguidos de contração econômica.

A última vez em que a economia irlandesa recuou por dois trimestres consecutivos foi em 2009, mas o país tem lutado desde então para gerar crescimento sustentável apesar do programa de austeridade adotado pelo governo como parte do pacote de ajuda recebido por Dublin.

Depois de reduzir os gastos públicos em bilhões de euros, a Irlanda terá de implementar mais 3,5 bilhões de euros em medidas de austeridade em 2013 e os cortes prosseguirão até 2015. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrlandarecessãoEuropacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.