Itália terá de importar mais trigo para atender setor de massas

Fabricantes de massas na Itália precisarão importar mais trigo durum para sustentar o crescimento no consumo da comida mais famosa do país, de acordo com o diretor da associação de produtores de semolina da União Europeia, Umberto Sacco. A Itália exporta mais da metade das massas que produz e o crescimento desse mercado segue estável, afirmou Sacco em entrevista realizada num evento do setor de massas, em Roma.

Filipe Domingues, da Agência Estado,

25 de outubro de 2011 | 18h51

Portanto, a demanda por trigo deve crescer na Itália, maior produtor mundial de massas. Em setembro, foram produzidas 3,25 milhões de toneladas de massas, de acordo com dados da Organização Internacional de Massas. A produção italiana é bem maior do que as dos Estados Unidos e do Brasil, que produzem 2 milhões e 1,3 milhão de toneladas, respectivamente.

O consumo anual per capita na Itália é de 26 kg, enquanto nos Estados Unidos é de 8,8 kg e na Alemanha chega a 7,9 kg. Produtores italianos de massas atualmente precisam de cerca de 5,2 milhões de toneladas de trigo durum por ano e aproximadamente 40% deste total é importado de países da União Europeia, assim como dos Estados Unidos, do Canadá e da Austrália, segundo Sacco.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
trigomassas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.