Itaú lança fundo de índice no Chile

O Itaú lançou nesta sexta-feira no mercado do Chile o It Now IPSA, fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) atrelado ao indicador de referência da Bolsa de Valores de Santiago, inédito em vários aspectos. Em nível mundial, é o primeiro que replica a rentabilidade das 40 ações com maior presença naquele mercado, de acordo com o banco. É também o primeiro da categoria a ser oferecido por uma instituição financeira brasileira fora do Brasil.

GABRIELA FORLIN, Agencia Estado

30 de agosto de 2013 | 18h17

No pregão desta quinta-feira, 29, o IPSA fechou em alta de 3,01%. Em 2012, o Itaú havia vencido a licitação realizada pela Bolsa de Comercio de Santiago para criar ETFs dos principais índices. Com o processo, a instituição conquistou o direito do uso exclusivo das marcas registradas IPSA, IGPA e Inter-10 pelo prazo de dez anos, permitindo a criação, negociação e transação de ETFs no mercado nacional e internacional.

"O lançamento do It Now IPSA é uma aposta de longo prazo que mostra o compromisso do Itaú com este mercado. Para os próximos anos, é esperado um crescimento entre 20% e 30% da indústria de ETFs em todo o mundo, e nós acreditamos que o Chile possa fazer parte dessa expansão", afirmou, em nota, o gerente-geral do Itaú Chile, Boris Buvinic.

De acordo com o gerente-geral da Itaú Asset Management no Chile, Wagner Guida, este ETF facilitará a implementação de estratégias de investimento que busquem exposição no mercado chileno. "Este instrumento oferece uma série de vantagens, como o acesso a uma carteira diversificada de títulos locais, com uma liquidez similar à de qualquer ação e um custo muito menor que os fundos mútuos. Além disso, recebe o mesmo tratamento tributário das ações de que é composto e permite investir sem exposição ao dólar", afirmou, em nota.

Já o gerente-geral da Bolsa de Comercio de Santiago, José Antonio Martínez, disse que o lançamento "é o primeiro passo rumo ao desenvolvimento de um novo mercado de ETFs emitidos localmente, e constitui um importante marco para a Bolsa de Santiago como agente relevante no desenvolvimento do mercado e no seu compromisso de ampliar a oferta de instrumentos financeiros".

O instrumento tem a LarrainVial como formador de mercado - é esperado que possua "importante liquidez e profundidade no mercado chileno, com spreads competitivos e atraentes para os investidores", de acordo com o Itaú. O banco tem nove anos de experiência no negócio dos ETF no Brasil e, atualmente, oferece seis produtos distintos sob a marca It Now, onde administra fundos no valor de US$ 750 milhões, o equivalente a 40% do mercado de ETFs no Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
ItaúChile

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.