Itaú pode desistir de oferta por Redecard

O Itaú Unibanco marcou assembleia geral extraordinária (AGE) especial para o dia 18 de maio a fim de tratar do novo laudo de avaliação da oferta pública de aquisição (OPA) no âmbito da operação de fechamento de capital da sua controlada Redecard. O novo passo se deve a questionamentos de acionistas.

EQUIPE AE, Agencia Estado

30 de abril de 2012 | 12h12

Em fato relevante divulgado nesta segunda-feira, o Itaú Unibanco reafirma que o preço máximo a ser pago na OPA será R$ 35,00 por ação e diz que desistirá da oferta se o pedido de nova avaliação for aprovado e o novo laudo de avaliação apurar uma faixa de preço que não inclua esse preço máximo.

O acionista minoritário Lazard Asset Management, que representa mais de 10% das ações da Redecard, solicitou à empresa na semana passada um segundo laudo de avaliação de preço justo. No laudo anteriormente preparado pela N.M. Rothschild & Sons (Brasil) Ltda., instituição escolhida pelos acionistas minoritários, a faixa é de R$ 34,18 a R$ 37,59.

Tudo o que sabemos sobre:
RedecardItaúoferta pública

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.