Itaú Unibanco eleva projeção de Selic de 12,25% para 12,5% em 2011

Economistas avaliam que a ata da reunião do Copom de junho sinalizou uma elevação adicional da taxa de juros, finalizando o ciclo de aperto monetário

Francisco Carlos de Assis, da Agência Estado,

17 de junho de 2011 | 18h15

O Departamento Econômico do Itaú Unibanco elevou em 0,25 ponto porcentual sua projeção para a taxa Selic no final deste ano, de 12,25% ao ano para 12,50%. É o que informa nota assinada pelos economistas do banco Ilan Goldfajn e Felipe Salles que o banco distribuiu nesta sexta-feira, 17, para seus clientes.

Os dois economistas avaliam que a ata da reunião do Copom de junho, divulgada na última quinta pelo Banco Central, sinalizou uma elevação adicional da taxa de juros, finalizando o ciclo de aperto monetário.

"Nossa expectativa para a taxa de câmbio no final de 2011 e 2012, de R$ 1,55 e R$ 1,65, segue inalterada, mas elevaram-se os riscos de um real mais depreciado em função da deterioração do cenário global", afirmam Goldfajn e Salles. Eles também mantiveram inalteradas as projeções de IPCA em 6,5% neste ano e 5,3% em 2012. "O acompanhamento diário de preços e os dados de inflação de curto prazo reforçam nossa visão de baixa inflação nos próximos meses", dizem.

Ainda de acordo com os dois economistas, o recente comportamento benigno das expectativas de inflação, o arrefecimento da demanda doméstica e a piora do cenário global reduzem os riscos de inflação mais elevada à frente. Além disso, os economistas do Itaú Unibanco afirmam que os sinais de desaceleração gradual da atividade doméstica estão mais claros, apesar do mercado de trabalho ainda aquecido. "Nossa projeção de crescimento é de 3,6%, em 2011, e 3,8%, em 2012", afirmam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.