Itaú Unibanco: operações com cartões sustentam crédito

As operações com cartões de crédito, pequenas e médias empresas e financiamento imobiliário foram as que mais contribuíram para a expansão de 2,4% da carteira de empréstimos total do Itaú Unibanco ao longo de 2009. Segundo informou hoje o banco, ao divulgar os resultados consolidados do ano, ao fim de dezembro o crédito concedido por meio de cartões totalizava R$ 29,096 bilhões, um valor 23,1% maior que o registrado em igual mês de 2008.

ANA PAULA RIBEIRO, Agencia Estado

09 de fevereiro de 2010 | 13h29

Já o financiamento de veículos, que chegou ao fim de dezembro de 2009 a R$ 52,204 bilhões, apresentou avanço de 9,1%. Já o crédito pessoal caiu 0,6% na mesma base de comparação, totalizando R$ 21,545 bilhões. Essa queda, segundo o Itaú Unibanco, decorre do pagamento do 13º salário no fim do ano, que colaborou para a redução do saldo dessas operações.

No segmento de pessoa jurídica, o maior crescimento foi registrado nas operações para pequenas e médias empresas. Essa carteira chegou a R$ 60,992 bilhões no fim do ano passado, o que representa um avanço de 20,4% na comparação com o mesmo período de 2008. Já para as grandes empresas, o total de empréstimos chegou a R$ 88,88 bilhões, uma queda de 13,6% em 12 meses. De acordo com o Itaú Unibanco, essa queda é justificada pela valorização do real em relação a moedas estrangeiras em 2009 e à maior utilização do mercado de capitais por essas empresas.

No crédito direcionado, o destaque ficou por conta do financiamento imobiliário, que chegou em dezembro a R$ 8,510 bilhões, uma expansão de 36,3%. Já o crédito rural era de R$ 5,143 bilhões na mesma data, uma queda de 9%.

As operações no exterior (Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai) eram de R$ 11,708 bilhões, uma queda de 12,6% em relação ao estoque de dezembro de 2008. Já as operações de crédito da Porto Seguro somavam R$ 303 milhões em dezembro do ano passado.

A carteira de crédito total do Itaú Unibanco, incluindo avais e fianças, somavam R$ 278,382 bilhões no fim de dezembro, um crescimento de 2,4% na comparação com igual período de 2008. Sem considerar os avais e as fianças, o total de empréstimos era de R$ 245,951 bilhões, um avanço de 1,7% em 12 meses.

Inadimplência

O Itaú Unibanco registrou no quarto trimestre de 2009 uma inadimplência de 5,6%, ante os 5,9% do trimestre imediatamente anterior e os 3,9% apresentados entre outubro e dezembro de 2008. O indicador leva em conta os atrasos superiores a 90 dias.

Considerando apenas operações com pessoas físicas, a taxa de inadimplência ficou em 7,6%, ante 8,1% do terceiro trimestre do ano passado e 6,9% do quarto trimestre de 2008. Para as empresas, os atrasos acima de 90 dias equivaliam a 4% da carteira de crédito do segmento, ante os 4,1% registrados no terceiro trimestre de 2009 e acima dos 1,3% do quarto trimestre de 2008.

Crescimento em 2010

O Itaú Unibanco espera que sua carteira de crédito apresente um crescimento em torno de 20% em 2010, de acordo com o diretor executivo de Controladoria, Silvio de Carvalho. A projeção não inclui as grandes empresas. "Essas companhias se utilizam mais do mercado de capitais e a tomada de empréstimos no exterior", explicou.

O maior crescimento esperado para 2010 é no financiamento imobiliário, com expansão de 40%. Para pequenas e médias empresas, a carteira tem previsão de crescer 20%, enquanto o total de empréstimos para pessoas físicas deve apresentar um aumento entre 16% e 17% no ano.

Carvalho considera que, mesmo que a volatilidade no mercado externo continue, as projeções para crédito no Brasil são positivas. "Vamos crescer 20% e ter queda na inadimplência. Isso decorre da robustez do nosso mercado interno", disse. Essa projeção está baseada em uma expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 5,5% em 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
cartões, crédito, Itaú Unibanco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.