Itaú Unibanco reduz juros para médias empresas

Banco também ampliou para 90 dias o prazo de carência na modalidade capital de giro

Ana Paula Ribeiro, da Agência Estado,

10 de setembro de 2009 | 13h20

O Itaú Unibanco reduziu as taxas de juros para pequenas e médias empresas e ampliou os prazos de carência na modalidade capital de giro. O objetivo é aumentar o volume de negócios no período em que essas companhias precisam de recursos para recompor os estoques para final de ano e realizar o pagamento do 13º salário dos funcionários. Ao todo, o banco tem um limite da ordem de R$ 87 bilhões para essas operações, sendo que cerca de 50% está sendo utilizada.

 

A taxa mínima de juros passará de 1,29% para 0,89% ao mês e a máxima de 6,39% para 5,86% ao mês. O prazo de pagamento vai até 24 meses, dependendo da modalidade (Giropré e Giropré Automático) e das garantias oferecidas. O prazo de carência para as pequenas e médias empresas, aquelas com faturamento anual entre R$ 500 mil e R$ 6 milhões, foi ampliado de 45 para 90 dias. Para as de maior porte (faturamento entre R$ 6 milhões e R$ 40 milhões), passou de 90 para 120 dias.

 

A expectativa da instituição financeira é que o total de crédito dessa modalidade apresente neste ano um crescimento entre 10% e 15%. Ao final de junho, as operações de crédito para pequenas e médias empresas somavam R$ 54,312 bilhões, uma alta de 7,3% em relação ao estoque de dezembro e de 28,5% na comparação com o mesmo mês de 2008.

Tudo o que sabemos sobre:
Itaú Unibancojurosmédias empresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.