Japão aumenta empréstimos em dólar para US$ 130 bi para conter iene

Segundo o jornal 'Nikkei', governo parece estar tentando se afastar de turbulência financeira, expandindo uma fonte de financiamento em dólares para as empresas japonesas

Renan Carreira, da Agência Estado,

19 de outubro de 2011 | 18h37

O governo do Japão decidiu nesta quarta-feira, 19, expandir para cerca de 10 trilhões de ienes (US$ 130,14 bilhões) um programa de empréstimo que usará dólares em seu poder para estimular aquisições estrangeiras e investimentos em recursos naturais, com o objetivo de frear a moeda japonesa, de acordo com o jornal Nikkei. A expansão é parte de um pacote de respostas políticas para o iene forte que o gabinete deve votar na sexta-feira.

Planos anteriores para o programa de empréstimos do Japan Bank for Internacional Cooperation (JBIC) previam um crédito de US$ 100 bilhões. O financiamento em dólares bancado pelo Estado virá de uma conta especial governamental para intervenções cambiais. Os empréstimos devem estimular fusões, aquisições e outros investimentos no exterior por companhias nacionais, aumentando a demanda por dólares e revertendo os ganhos do iene.

Ao mesmo tempo, o governo parece estar tentando se afastar de uma potencial turbulência financeira, como os problemas da dívida da Europa, expandindo uma fonte de financiamento em dólares para as empresas japonesas.

Outras medidas no pacote para a contenção do iene incluem um estímulo de 1 trilhão de ienes (US$ 13,01 bilhões) para as garantias do governo para a Innovation Network Corporation. O suporte adicional vai ajudar a parceria público-privada a investir em companhias no exterior aproveitando a força do iene.

Para manter empresas nacionais investindo no Japão apesar da moeda forte, um terceiro orçamento suplementar que está por vir vai fornecer 500 bilhões de ienes (US$ 6,5 bilhões) em subsídios. O pacote também vai conter apoio financeiro para empresas de pequeno e médio portes e medidas para criação de emprego.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
japãoempréstimosdólarienecâmbio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.