Japão fecha acordo para medidas de estímulo de US$ 156 bilhões

 O governo japonês e o governista Partido Democrata do Japão (PDJ)agora apresentarão proposta aos partidos de oposição

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

27 de setembro de 2011 | 18h21

O governo japonês e o governista Partido Democrata do Japão (PDJ) chegaram hoje a um acordo em torno de um plano para destinar 12 trilhões de ienes (quantia equivalente a US$ 156,5 bilhões) a um novo pacote de estímulo e recorrer menos a elevações de impostos do que o originalmente planejado para financiar as obras de reconstrução das áreas devastadas pelo terremoto seguido de tsunami de 11 de março.

O governo e o PDJ agora apresentarão o novo plano aos partidos de oposição, cujo apoio é crucial para que as propostas sejam aprovadas pelo dividido Parlamento japonês. No entanto, o futuro do plano não parece muito promissor, uma vez que a principal agremiação opositora, o Partido Liberal Democrata (PLD), tem adotado recentemente uma postura de confrontação ao PDJ.

O pacote de estímulo é um pouco maior do que o originalmente calculado. O dinheiro seria usado para pagar pelas obras de reconstrução e para amenizar o impacto da recente apreciação do iene sobre a economia japonesa, bastante dependente das exportações.

Dos 12 trilhões de ienes em questão, o governo pretende conseguir 7 trilhões de ienes (US$ 91,3 bilhões) por meio de apertos nos gastos em diferentes áreas da administração pública e de aumento da arrecadação não proveniente de impostos - acima dos 5 trilhões de ienes (US$ 65,2 bilhões) originalmente previstos para serem levantados dessa forma.

Para elevar a arrecadação não proveniente de impostos, o governo pretende vender todas as suas ações na Japan Tobacco Inc e parte das ações em companhias de energia, entre outras coisas, disse Seiji Maehara, do alto escalão do PDJ, durante entrevista coletiva.

De acordo com Maehara, tais medidas permitiriam ao governo reduzir as 11,2 trilhões de ienes (US$ 146 bilhões) para 9,2 trilhões de ienes (US$ 120 bilhões) o montante a ser arrecado por meio de elevação temporária de impostos.

A redução de 2 trilhões de ienes no valor a ser arrecadado com impostos foi anunciada apenas algumas horas depois de uma comissão tributária do PDJ ter proposto a arrecadação de 11,2 trilhões de ienes em aumento de tributos nos próximos dez anos para financiar a reconstrução.

As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.