Japão oferece US$ 100 bi ao FMI para nações em crise

Oferta de empréstimo será apresentada no encontro do G-20 neste final de semana em Washington

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

14 de novembro de 2008 | 19h50

O Japão está disposto a oferecer até US$ 100 bilhões em empréstimos ao Fundo Monetário Internacional para ajudar as nações afetadas pela crise financeira global, segundo informou o primeiro-ministro, Taro Aso, ao Wall Street Journal. Ele disse que  os recursos financeiros do FMI precisam ser melhorados com um aumento de capital dos países-membros para assegurar a assistência às nações emergentes e o crescimento econômico global. Até que tal aumento de capital aconteça, "o Japão está preparado para emprestar até US$ 100 bilhões para o Fundo como medida interina", disse Aso. A oferta, que será apresentada no encontro do Grupo dos 20 (G-20) neste final de semana, em Washington, faz parte do esforço de Tóquio em assumir um papel de liderança na resposta à crise global. O Japão também pedirá que outras nações com grandes reservas em moeda estrangeira, tais como a China e as nações produtoras de petróleo do Oriente Médio, integrem o esforço de disponibilizar recursos extras para o FMI, disseram autoridades do governo. O FMI, atualmente, tem mais de US$ 200 bilhões de contribuição dos países-membros disponíveis para empréstimos emergenciais. Nas últimas semanas, o Fundo concedeu empréstimos a Islândia, Hungria e Ucrânia, avaliados em mais de US$ 30 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseTóquioG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.