JBS compra 50% da italiana Inalca por US$331 milhões

A brasileira JBS fechou uma parceriaestratégica com a italiana Cremonini que envolve toda a divisãode produção de carne bovina da empresa européia, da qual acompanhia nacional terá 50 por cento de participação. O acordo envolve a compra pela JBS de 50 por cento daunidade Inalca da Cremonini por 225 milhões de euros (331,1milhões de dólares), informaram as empresas nesta quinta-feira. A transação foi estruturada com a transferência pelaCremonini de 100 por cento do capital social da MontanaAlimentari para a Inalca, por 70 milhões de euros, que passaráa ser metade controlada pela companhia brasileira. Dos 225 milhões de euros do valor total da transação, 46,4por cento corresponde a um aumento de capital da Inalca e 3,6por cento equivale à compra direta de ações da unidade detidaspela Cremonini por 15 milhões de euros. Enquanto a JBS é a maior produtora mundial de carne bovina,a Cremonini é líder na Itália em produção de carne bovina eprodutos à base de carne, informou a companhia brasileira emcomunicado. A Inalca tem capacidade de abate de 3.500 cabeçasde gado por dia e de processamento de 260 mil toneladas decarne por ano. A operação está sujeita a aprovação de autoridadesgovernamentais e deve ser concluída até janeiro de 2008,informou a JBS. A Cremonini tem a opção de vender os 50 por cento restantesda Inalca para a JBS entre o quarto e o décimo ano após aconclusão da operação, desde que o lucro antes de juros,impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla eminglês) seja de pelo menos 60 milhões de euros. "Para a JBS, esta operação representa uma oportunidade deacesso, através da Inalca, a novos mercados e clientes, dentreos quais grandes multinacionais no setor de fast food,produtores de alimentos industrializados, grandes cadeias devarejo e empresas de distribuição de alimentos", informou ogrupo brasileiro. Em outubro a JBS fechou acordo para compra o frigoríficoargentino Col Car por 20,25 milhões de dólares. A transaçãoocorreu após anúncio feito no fim de maio de compra danorte-americana Swift & Co por 1,4 bilhão de dólares. (Por Alberto Alerigi Jr.)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.