JBS diz que vaca louca nos EUA não afeta negócios

A JBS informou ao mercado, nesta quarta-feira, que considera que seus negócios não serão afetados pelo caso confirmado de Encefalopatia Espongiforme Bovina (BSE, na sigla em inglês, também conhecida como doença da "vaca louca") na Califória, pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos na terça-feira.

AE, Agencia Estado

25 de abril de 2012 | 19h34

O órgão considera o caso da doença atípico e isolado, já que o animal não tinha como destino a cadeia alimentar, de forma que o abastecimento de carne não está em risco, conforme a nota divulgada pela JBS.

"Existe no mercado um consenso de que o comércio internacional não deverá ser afetado pelo incidente. Além disso, o status sanitário dos Estados Unidos junto à Organização Mundial de Saúde Animal segue inalterado, uma vez que os acordos sanitários assinados contemplam a possibilidade de ocorrências de casos isolados da doença, como o confirmado na tarde de ontem (terça-feira)", informou, em nota.

Além disso, a JBS disse ter um "hedge natural" em suas atividades, já que possui operações de carne bovina na Austrália e no Mercosul, que poderiam atender os contratos, e que também atua em carne de frango e suínos nos Estados Unidos. Portanto "estaria preparada para a possibilidade de uma eventual mudança nos hábitos de consumo."

Tudo o que sabemos sobre:
JBSvaca louca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.