JBS e Margen estão entre empresas investigadas pela polícia--MPF

Os frigoríficos JBS e Margen estão entre as empresas que teriam sido favorecidas por funcionários públicos em um esquema investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal em Rondônia, informou a assessoria de imprensa do MPF nesta terça-feira.

REUTERS

16 de junho de 2009 | 14h46

A operação, batizada de "Abate", está sendo realizada nesta terça-feira para apurar a prática de crimes em que, de acordo com comunicado da Polícia Federal em Rondônia, "um importante grupo econômico com sede em Mato Grosso seria responsável pelo pagamento de propinas a servidores públicos (...)".

Em troca, os funcionários públicos favoreciam várias empresas, mas detalhes de como isso era feito ainda não foram divulgados.

Procurados pela Reuters, JBS e Margen não estavam disponíveis para comentar. Outras empresas, como laticínios e curtumes, também estariam sendo investigadas.

Segundo a assessoria do MPF, entre os crimes que estariam sendo investigados estão formação de quadrilha, corrupção passiva e ativa e subtração ou inutilização de documentos públicos.

A "Operação Abate" está cumprindo 15 mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária e 43 de busca e apreensão na sede da Superintendência Federal da Agricultura em Rondônia, na residência de vários investigados e na sede de diversas empresas envolvidas no esquema. As ações ocorrem em oito Estados e envolvem 250 policiais.

(Por Camila Moreira)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSOPERACAOEMPRESAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.