Johnson & Johnson compra 18% da Crucell por 302 mi de euros

A norte-americana Johnson & Johnson comprou uma fatia de 18 por cento na companhia de biotecnologia Crucell por 302 milhões de euros (444 milhões de dólares) como parte de um acordo para desenvolvimento de uma vacina contra gripe, informou a empresa holandesa nesta segunda-feira.

AARON GRAY-BLOCK, REUTERS

28 de setembro de 2009 | 10h54

Fabricantes de vacinas têm intensificado metas de fusão e aquisição recentemente, em especial grandes farmacêuticas dispostas a garantir novos produtos exclusivamente.

A Crucell anteriormente esteve envolvida em rumores de aquisição pela farmacêutica norte-americana Wyeth, mas tais especulações foram encerradas em janeiro após a Pfizer propor a compra da Wyeth.

A Johnson & Johnson e sua rival de menor porte Abbott já são as mais diversificadas entre as grandes companhias do segmento de cuidados de saúde nos Estados Unidos e na Europa. Apesar disso, ambas continuam adquirindo mais produtos e empresas, frequentemente a preços vantajosos devido ao declínio econômico.

A Crucell informou ter emitido 14,6 milhões de novas ações para a Johnson & Johnson, que pagou um prêmio de cerca de 30 por cento baseado no preço médio dos últimos 35 dias.

Isso levou a um preço por ação de quase 20,63 euros.

A transação terá um impacto diluído estimado em 0,02 a 0,04 dólar sobre o lucro por ação ajustado da Johnson & Johnson em 2009.

A Crucell acrescentou que a colaboração focará o desenvolvimento de um produto universal "flu-mAb", visando todas as variações do vírus influenza A, incluindo o H1N1.

"Essa colaboração é um bom acordo para a Crucell. Embora a droga ainda esteja em um estágio muito inicial, a Crucell não teria conseguido suportar os extensivos testes clínicos por conta própria", afirmou o analista da SNS Securities Ilja Zaanen.

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASFARMACEUTICAJOHNSON*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.