JP Morgan terá fundo de US$ 1 bi denominado em yuan na China

Segundo fontes, fundo será uma joint venture com o governo da capital chinesa e deve se chamar  JPM China Private Equity Fund

Gabriel Bueno, da Agência Estado,

25 de novembro de 2011 | 15h05

O JP Morgan Asset Management, braço do banco dos EUA JP Morgan, recebeu autorização do governo da cidade de Pequim para criar um fundo denominado em yuan dentro do novo programa "Parceiro Estrangeiro Limitado Qualificado" (QFLP, na sigla em inglês), disseram pessoas familiarizadas com o assunto. Com isso, a companhia dos EUA torna-se a gerenciadora do maior fundo estrangeiro denominado em yuan até o momento.

O JP Morgan Asset Management, que faz investimentos de private equity, pode converter até US$ 1 bilhão de dinheiro dos investidores estrangeiros em yuan, em troca de investimento privado na capital chinesa e na região. A cota total do governo de Pequim para essa iniciativa do QFLP é de US$ 3 bilhões.

As duas fontes ouvidas disseram que o JP Morgan Asset Management conversa com investidores fora e dentro da China. Segundo elas, o JP Morgan gerenciará o fundo, que se chamará JPM China Private Equity Fund e será uma joint venture com o governo da capital chinesa. Não estava ainda claro se o governo de Pequim também colocará dinheiro no fundo.

Uma das pessoas ouvidas disse que o fundo investirá em vários setores, como serviços relacionados ao consumo, cuidados com saúde e tecnologia. O JP Morgan Asset Management não quis comentar o caso e a administração de Pequim não respondeu aos pedidos de entrevista.

Criado este ano, o programa QFLP facilita a entrada de investimentos do exterior em fundos denominados em yuan. Através dele é possível contornar controles a moedas estrangeiras, incluindo a aprovação pela Administração Estatal de Moeda Estrangeira da China. Os fundos de private equity em yuan conseguem maior acesso a indústrias restritas, como de exploração de minerais preciosos e leasing, em comparação com aqueles denominados em dólar.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
jp morganfundoyuanchina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.