JPMorgan vai pagar US$ 410 mi para encerrar processo

O JPMorgan Chase concordou em pagar US$ 410 milhões aos órgãos reguladores do setor de energia dos EUA para encerrar acusações de que operadores do banco manipularam mercados de eletricidade na Califórnia e no Meio Oeste dos EUA.

AE, Agencia Estado

30 de julho de 2013 | 11h42

O maior banco do país em ativos não admitiu má conduta e aparentemente nem os operadores ou o diretor de commodities, Blythe Masters, o mais alto executivo da empresa que os investigadores relacionaram às supostas transações ilícitas, enfrentarão punições.

O JPMorgan pagará US$ 285 milhões à Comissão Regulatória de Energia Federal (FERC, na sigla em inglês) e devolverá US$ 125 milhões em lucros. O banco também vai desistir de quase US$ 200 milhões em queixas contra o operador da rede elétrica da Califórnia.

O acordo segue-se à divulgação de novos detalhes sobre as acusações, que indicam que o banco usou oito estratégias diferentes para distorcer "pagamentos excessivos" dos mercados de eletricidade - uma conclusão tirada de anos de investigações sobre as atividades do banco no oeste dos EUA.

A FERC afirmou que o JPMorgan se envolveu em vários esquemas de negociação, incluindo a apresentação de propostas que "falsamente pareciam" atrativas às operadoras do sistema elétrico e que resultaram em pagamentos ao banco avaliados em "dezenas de milhões de dólares com taxas muito acima dos preços de mercado". Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
JPMorganenergia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.