Jucá só vai analisar sigilo sobre obras da Copa quando texto chegar ao Senado

Segundo líder do governo, senadores terão duas semanas para debater a MP 527, cuja validade termina dia 14 de julho

Rosa Costa, da Agência Estado,

21 de junho de 2011 | 13h22

O líder do governo, senador Romero Jucá (PMDB-RR), disse nesta terça-feira, 21, que só depois de a MP 527 chegar ao Senado é que saberá qual é a melhor saída para solucionar o impasse provocado pela decisão do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e de outros parlamentares contrários ao artigo que impõe sigilo no valor das obras da Copa do Mundo. Ele afirma que os senadores terão duas semanas para debater a MP, cuja validade termina dia 14 de julho.

"Tem destaques ainda a serem votados na Câmara e, portanto, a gente não sabe o texto que chegará ao Senado", lembra. "Quando chegar vamos debater com os líderes e eu espero que o Senado tenha prazo para discutir e emendar e se for o caso emendar a proposta, já que ela só cai, só perde a validade no dia 14 de julho", argumentou.

Jucá disse que não entendeu a posição de Sarney como sendo de oposição à MP mas, sim, a de rejeitar apenas ao artigo do sigilo.

"E a intenção do governo não é ter obra sigilosa, o governo está criando um mecanismo de proteção do preço enquanto abre o processo de licitação, mas tudo isso é discutido. Nada foi ainda aprovado definitivamente na Câmara e, portanto, poderá ser discutido e modificado no Senado".

O líder rejeitou a ideia sugerida pelo senador Walter Pinheiro (PT-BA), de fechar um acordo prévio para a presidente Dilma Rousseff vetar o dispositivo do sigilo. Alega que seria melhor resolver logo a questão no Senado. "Essa questão do sigilo tem de ser debatida pelo Senado, acho que se nós aprovarmos do jeito que está e colocarmos o veto para a presidente, talvez não seja o melhor mecanismo, já que nós temos prazo para discutir e votar aqui no Senado, é melhor que o debate seja feito aqui, sem o Senado abrir mão de sua prerrogativa", afirmou.

Ele reitera que os senadores terão tempo suficiente para debater e, possivelmente, modificar o texto da medida provisória.

Tudo o que sabemos sobre:
MPfovernoSarneysigiloobrasCopa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.