Juiz aprova pedido da GM de cancelar aluguel de jatos executivos

Um tribunal de falências norte-americano aceitou nesta quinta-feira um pedido da montadora General Motors para que seja cancelado o leasing de sete jatos executivos para uso corporativo.

REUTERS

18 de junho de 2009 | 16h00

Os aviões foram alugados à GM por uma divisão da General Electric e incluem cinco jatos Gulfstream G350 e dois do modelo de maior porte Gulfstream GV, segundo documentos do tribunal.

Os chefes de três montadoras de Detroit --incluindo da GM-- foram fortemente criticados no começo do ano por terem utilizado jatos executivos para ir até Washington pedir bilhões de dólares do pacote de socorro do governo norte-americano ao setor financeiro.

Como parte das exigências para as fabricantes de veículos receberem dinheiro, os executivos mais tarde concordaram em suspender o uso dos aviões executivos.

O juiz de falências em Manhattan Robert Gerber determinou o cancelamento do leasing dos aviões da GM após uma audiência que durou menos de 10 minutos.

A GM entrou com pedido de concordata em 1o de junho e buscar sair da proteção judicial como uma nova empresa nos próximos meses.

(Reportagem de Caroline Humer)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSGMJATOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.