Juro do crédito para pessoa física cai para 35,1% ao ano em março, diz BC

O estoque de operações de crédito cresceu 1,8% em março, chegando a R$ 2,4 tri; a inadimplência caiu

Eduardo Cucolo e Célia Froufe, da Agência Estado,

26 de abril de 2013 | 11h00

BRASÍLIA - A taxa média de juros no crédito livre caiu de 26,5% ao ano em fevereiro para 26,1% ao ano em março, segundo o Banco Central. Para pessoa física, a taxa média recuou de 35,1% ao ano em fevereiro para 34,5% ao ano em março. Para a pessoa jurídica (PJ), a taxa média ficou praticamente estável, mas caiu de 19,0% ao ano para 18,8% ao ano na mesma base de comparação.

Entre as principais linhas de crédito livre para a pessoa física o destaque é o cheque especial, cuja taxa passou de 138,5% ao ano para 137,9% ao ano na mesma comparação. Para o crédito pessoal, recuou de 37,9% ao ano para 37,1% ao ano. Para veículos, os juros caíram de 20,5% ao ano para 19,7% ao ano.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disse há pouco que, em janeiro, o mercado já antecipou na curva de juros a alta da Selic. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na semana passada, o colegiado decidiu elevar a taxa básica de 7,25% para 7,50% ao ano.

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel, disseque, em janeiro, o mercado já antecipou na curva de juros a alta da Selic. Na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), na semana passada, o colegiado decidiu elevar a taxa básica de 7,25% para 7,50% ao ano.

De acordo com nota divulgada hoje pelo BC, a taxa de juros média dos empréstimos com recursos livres passou de 25,3% em dezembro de 2012 para 26,2% em janeiro deste ano.

No mesmo período, a taxa cobrada para as pessoas físicas passou de 33,9% para 34,6% e a das pessoas jurídicas, de 18% para 18,9%. "Como as taxas de juros estão se comportando com a Selic? O que aconteceu, aparentemente, é que teve uma antecipação da taxa básica em janeiro", disse Maciel. "Mas a alta de dezembro para janeiro não se sustentou. De janeiro para cá as taxas de juros estão oscilando e agora está tendo uma estabilidade", continuou, acrescentando que o patamar dos juros hoje é "muito menor" do que o cobrado no mesmo período do ano passado. Maciel destacou que a redução dos juros contribui para a redução da inadimplência.

A taxa média de juros no crédito total, que inclui também as operações direcionadas, recuou de 18,7% ao ano em fevereiro para 18,5% ao ano em março. Já o juro médio do crédito direcionado subiu de 7,2% ao ano para 7,3% ao ano na mesma base de comparação. 

Inadimplência. A inadimplência média do crédito livre recuou de 5,6% em fevereiro para 5,5% em março. No caso de pessoa física, a redução foi de 7,7% para 7,6% no mesmo período. Já em relação à pessoa jurídica, foi constatada a primeira queda nos calotes, para 3,6% em março, depois de 4 meses de estagnação da taxa em 3,7%.

A inadimplência no crédito pessoal passou de 4,6% em fevereiro para 4,5% em março. Já no caso do cheque especial, houve um aumento do calote no período de 7,5% para 7,8%. Em relação aos recursos direcionados, a inadimplência total ficou estável em 1,1% em março ante fevereiro, e no geral também se estabilizou em 3,6%.

No caso de aquisição de veículos, a inadimplência recuou de 6,4%, taxa verificada nos três meses anteriores, para 6,3% em março. No caso da compra de outros bens, a inadimplência passou de 9,7% em fevereiro para 9,6% em março. No cartão de crédito, a inadimplência recuou de 26,3% em fevereiro para 25,7%.

Spread. O spread bancário médio no crédito livre caiu de 18,3 pontos porcentuais (PP) em fevereiro para 17,7 pontos porcentuais em março. O spread médio da pessoa física no crédito livre caiu de 26,2 pp em fevereiro para 25,4 pp em março. Para pessoa jurídica, o spread médio recuou de 11,3 pp para 10,9 pp, no período.

O spread médio do crédito direcionado subiu de 2,9 pp para 3,0 pp na mesma comparação. O spread médio no crédito total (livre mais o direcionado) recuou de 12,0 pp em fevereiro para 11,7 pp em março. A taxa de captação dos bancos no crédito livre avançou de 8,2% ao ano para 8,4% ao ano na mesma comparação.

Estoque. O estoque de operações de crédito do sistema financeiro cresceu 1,8% em março ante fevereiro, chegando a R$ 2,426 trilhões. No primeiro trimestre deste ano, a carteira cresceu 2,5% e, em 12 meses, 16,7%. De acordo com a autoridade monetária, o crédito para pessoas físicas subiu 1,4% em março e 16,3% no acumulado em 12 meses até março.

Já para Pessoa Jurídica, a alta foi de 2,2% em março e de 16,1% no acumulado de 12 meses. O Banco Central informou ainda que o total de operações de crédito em relação ao Produto interno Bruto  (PIB), passou de 53,3% em fevereiro para 53,9% em março.

Tudo o que sabemos sobre:
créditoBCmarço

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.