Juro no crédito livre sobe para 39,8% em abril, diz BC

Juro do cheque especial atingiu 178,05%, maior nível em 8 anos

Agência Estado,

30 de maio de 2011 | 11h57

A taxa de juros das operações de crédito livre subiu de 39% em março para 39,8% em abril. Até o mês passado, os juros dos financiamentos subiram 4,8 pontos porcentuais no acumulado do ano e, nos últimos 12 meses, o aumento soma 5,5 pontos porcentuais.

Nas operações de pessoa jurídica, a taxa de juros caiu, passando de 31,3% em março para 31% em abril. Por outro lado, para as pessoas físicas, os financiamentos estão mais caros. A taxa de juros subiu de 45% para 46,8%, no mesmo período. O juro do cheque especial, por exemplo, atingiu 178,05% em abril, maior nível desde abril de 2003, quando foi de 178,46%. Enquanto a taxa dos empréstimos para pessoa jurídica no acumulado do ano até o mês passado subiu 3,1 pontos porcentuais, o encargo para pessoa física registrou crescimento duas vezes maior, de 6,2 pontos porcentuais.

Já o spread médio das operações de crédito livre subiu de 26,8 pontos porcentuais em março para 27,7 pontos porcentuais em abril. Em 2011 até o mês passado, o crescimento do spread é de 4,2%. Nas operações de financiamento das pessoas jurídicas, o spread recuou, passando de 19,6 pontos porcentuais para 19,4 pontos porcentuais, em base mensal. Na pessoa física, por outro lado, houve uma expansão, passando de 32,4 pontos porcentuais em março para 34,2 pontos porcentuais em abril. No ano até abril, o spread das operações para pessoa física já subiu 5,7%.

Inadimplência

A inadimplência das operações de crédito com recursos livres subiu de 4,7% em março para 4,9% em abril. Para a pessoa física, o índice de calotes passou de 6,0% para 6,1%, enquanto para pessoa jurídica aumentou de 3,6% para 3,7%. No acumulado do ano, a inadimplência do crédito livre subiu 0,4 ponto porcentual, mesmo índice da pessoa física. Para pessoa jurídica, a alta é de 0,2 pp na inadimplência no ano.

O prazo médio das operações no crédito livre subiu 1 dia de março para abril, para 476 dias corridos. No acumulado do ano, contudo, o indicador está estável. O prazo médio de operações da pessoa física caiu 1 dia, para 567 dias corridos, enquanto para as empresas subiu 4 dias, para 392 dias corridos. No ano, o prazo médio para pessoa física tem alta de 5 dias e para pessoa jurídica tem queda de 7 dias. (Adriana Fernandes e Fabio Graner)

Tudo o que sabemos sobre:
jurocrédito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.