Justiça de SP homologa resultado; Energisa compra Rede

A Justiça de São Paulo homologou, na tarde desta segunda-feira, 9, o plano de recuperação judicial do Grupo Rede e o resultado da assembleia de credores realizada no início de julho passado. Com isso, a Energisa confirmou a aquisição do Grupo Rede e os seus ativos de distribuição e geração.

WELINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

09 de setembro de 2013 | 18h17

"A aprovação do plano de recuperação era uma das condicionantes para o negócio ser fechado. Ainda falta a aprovação do negócio pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), mas o mais importante passo foi dado hoje", afirmou o advogado da Energisa, Bernardo Carneiro, do escritório Bragança Advogados.

O advogado do Grupo Rede, Thomas Felsberg, do escritório Felsberg Advogados, também confirmou que o plano de recuperação da companhia foi homologado pela Justiça paulista.

Segundo o advogado, o juiz que analisou o processo de recuperação do Grupo Rede considerou válido o voto do FI-FGTS na assembleia de credores, o que garantia a aprovação do plano de recuperação e desconsiderou o voto do BNY Mellon, por ser apenas o agente fiduciário dos detentores de bonds perpétuos do Grupo Rede e, portanto, não sendo credor da empresa.

Com a compra do Grupo Rede, a Energisa adquire oito distribuidoras de energia, localizadas no Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo e Paraná. A Energisa opera no segmento de distribuição por meio de cinco concessionárias, localizadas nos Estado de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe e Paraíba.

Tudo o que sabemos sobre:
Grupo RedeEnergisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.