Carlo Allegri/Reuters
Carlo Allegri/Reuters

KFC pretende eliminar uso de antibióticos no frango até o fim de 2018

Rede de fast food segue McDonald's e Subway ao se comprometer em abandonar o uso de químicos em alimentos

Dow Jones Newswires

07 de abril de 2017 | 13h14

NOVA YORK - A rede de fast food KFC anunciou nesta sexta-feira, 7, que, até o fim de 2018, todos os frangos comprados pela rede nos EUA serão criados sem o uso de antibióticos que são importantes para o tratamento de humanos.

A KFC vinha sendo pressionada por grupos de ativistas e de defesa da saúde do consumidor, após redes como McDonald's e Subway terem se comprometido a reduzir ou eliminar o uso desses medicamentos.

Segundo alguns especialistas, o uso indiscriminado de antibióticos que também são usados no tratamento de humanos pode fazer com que bactérias nocivas à saúde desenvolvam resistência a essas drogas.

A KFC, controlada pela Yum Brands, disse que a decisão vai exigir mudanças na forma como frangos são criados em cerca de 2 mil granjas no país.

De acordo com o Grupo de Pesquisa de Interesse Público, a medida pode representar um divisor de águas para o setor de aves. Atualmente, cerca de 40% dos frangos nos EUA são criados sob um programa que limita o uso de antibióticos, e a decisão da KFC pode elevar essa proporção para 50% ou mais, disse o grupo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.