Klabin lucra R$ 21,520 milhões no 4º trimestre

A Klabin, maior fabricante de embalagens e papéis para embalagens do Brasil, reportou lucro líquido de R$ 21,520 milhões no quarto trimestre de 2013. O resultado, 85% inferior ao do mesmo intervalo de 2012, foi pressionado principalmente pelo efeito da valorização do dólar nas dívidas denominadas em moeda estrangeira. Na comparação com o terceiro trimestre de 2013, houve queda de 89% no lucro.

ANDRÉ MAGNABOSCO, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2014 | 10h05

O balanço divulgado nesta quarta-feira, 12, mostra que o resultado financeiro líquido ficou negativo em R$ 248,519 milhões no trimestre, contra R$ 78,368 milhões negativos entre outubro e dezembro do ano anterior. Como detém mais de dois terços do endividamento bruto denominado em moeda estrangeira, a Klabin registra despesa financeira quando contabiliza a valorização do dólar sobre as dívidas. No quarto trimestre, o dólar oscilou 5% em relação ao real.

O mesmo dólar valorizado, por outro lado, impulsionou os resultados operacionais, uma vez que as exportações ficam mais atrativas e a concorrência do produto importado perde competitividade. Como consequência, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da Klabin cresceu 15% em relação ao quarto trimestre do ano anterior e totalizou R$ 442,482 milhões, a décima elevação consecutiva do indicador. A receita líquida, por sua vez, somou R$ 1,236 bilhão, expansão de iguais 15% em relação aos três últimos meses de 2012. Quando considerado o resultado da Klabin na empresa Florestal Vale do Corisco, a receita alcançou R$ 1,252 bilhão.

O Ebitda do quarto trimestre representa um novo recorde da companhia, superando a marca de R$ 426,3 milhões do terceiro trimestre de 2013. O levantamento considera dados desde 2002, ano seguinte ao processo de reestruturação pelo qual passou a centenária companhia brasileira. O resultado do trimestre inclui o Ebitda ajustado de R$ 9 milhões obtido pela Klabin na empresa Florestal Vale do Corisco. A margem Ebitda entre outubro e dezembro ficou em 35%, estável em relação ao quarto trimestre de 2012 e ao terceiro trimestre de 2013.

Anual

A trajetória dos resultados da Klabin no acumulado de 2013 é semelhante à registrada no quarto trimestre. O lucro, mais uma vez pressionado pelo efeito cambial, registrou queda de 61% em relação a 2012 e alcançou R$ 290,097 milhões.

O Ebitda ajustado, em contrapartida, encerrou o ano com expansão de 16%, para R$ 1,561 bilhão, um novo recorde histórico. A receita totalizou R$ 4,599 bilhões no acumulado do ano, alta de 10% na comparação anualizada.

Os números da Klabin foram impulsionados pelo câmbio mais favorável, pelos preços mais atrativos de seus produtos e pela maior oferta de papéis. Ao longo de 2013, a Klabin iniciou as operações de uma nova máquina de sacos industriais na unidade Correia Pinto (SC) e de máquinas, onduladeiras e impressoras na unidade de Goiana (PE).

Além disso, a Klabin continuou a capturar ganhos decorrentes do desgargalamento da linha de branqueamento da unidade Monte Alegre (PR), inaugurada em dezembro de 2012, e de projetos como a nova onduladeira na unidade localizada no Distrito Industrial de Jundiaí (SP), em operação desde meados de 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
Klabinbalanço4º trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.