Divulgação/Kraft Heinz e NotCo
Divulgação/Kraft Heinz e NotCo

Kraft Heinz e NotCo se unem para acelerar negócios com alimentos à base de plantas

As empresas visam reduzir o consumo de água e energia envolvidos na indústria alimentícia e atender ao consumidor conscientizado sobre pegada ecológica

Lucas Agrela, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 15h00

A Kraft Heinz se uniu com a startup chilena NotCo para criar uma empresa especializada na criação de produtos feitos à base de plantas. A operação, de valor não informado, dá origem à The Kraft Heinz Not Company, que visa ampliar a agenda verde das duas empresas, reduzindo o consumo de água e energia elétrica envolvidos na produção de alimentos com ingredientes animais.

Para Miguel Patricio, CEO global da Kraft Heinz, a joint-venture com a NotCo acelera a presença da empresa no setor de alimentos baseados em plantas, ainda que já existam produtos dessa categoria de sua própria criação. “Esse é um dos segmentos de crescimento mais rápido em alimentos e bebidas, mas, enquanto a popularidade está aumentando, existem barreiras de entrada, como sabor, textura, variedade, familiaridade e disponibilidade”, afirma.

A parceria de negócios será liderada por Lucho Lopez-May, CEO da América do Norte da NotCo. As empresas estarão concentradas na criação de diferentes categorias de produtos da Kraft Heinz. Hoje, a NotCo comercializa alimentos como maionese sem ovo ou glúten e frango baseado em plantas. Com tecnologia patenteada, a combinação de ingredientes feita pela NotCo para simular o sabor dos alimentos originais acontece com o auxílio de técnicas de inteligência artificial. Com a aliança com a Kraft Heinz, a NotCo tem a expectativa de reduzir os preços dos seus produtos globalmente, inclusive no Brasil.

“Para cumprir nossa missão de aumentar a sustentabilidade produtiva no mercado de alimentos, precisamos de um bom sabor nos produtos e preços acessíveis para a maioria das pessoas. Talvez, a escala produtiva nos permita levar os preços desses alimentos ao mesmo patamar dos produtos com ingredientes de origem animal”, afirma Matias Muchnick, cofundador e CEO global da NotCo.

Mercado em crescimento

O The Good Food Institute, organização sem fins lucrativos que promove alternativas ao consumo de alimentos de origem animal, prevê que a receita global do segmento de alimentos à base de plantas estará em uma faixa entre US$ 100 bilhões e US$ 370 bilhões em 2035. As cifras têm atraído empresas de grande porte para o setor, fortemente ligado com propostas de sustentabilidade em processos produtivos.

Avaliada em US$ 1,5 bilhão, a NotCo é a maior startup do Chile, seu país de origem. Fundada em 2015, tem negócios consolidados na América Latina, em especial, no Chile, no Brasil e na Argentina, mas também entrou nos Estados Unidos e no Canadá no ano passado. A NotCo estima que o Brasil será o seu maior mercado no mundo até 2023.

A NotCo não tem fábricas próprias e cresceu se aproveitando da capacidade ociosa desse setor, que é próxima de 20%, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Algumas das parceiras que fabricam os produtos da empresa são Shefa, Perfetto, GL Foods Worldwide e MetaFoods. Com a nova parceria de negócios, o uso de fábricas da Kraft Heinz para produção de alimentos baseados em plantas está sob análise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.