Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Lactalis faz oferta de € 3,4 bi para comprar 71% da Parmalat

O valor da oferta representa um prêmio de 21% sobre o preço médio da ação da Parmalat nos últimos 12 meses

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

26 de abril de 2011 | 10h17

A Lactalis fez uma oferta inesperada de € 3,4 bilhões, ou de € 2,60 por ação, por uma participação de 71% que ainda não possui na Parmalat, um grande player na produção de leite fresco e de longa duração - e com um alcance internacional que o grupo de laticínios francês ainda não detém. Às 9h50 (de Brasília), as ações da Parmalat subiam 11,07% na Bolsa de Milão.

O valor da oferta representa um prêmio de 21% sobre o preço médio da ação da Parmalat nos últimos 12 meses.

As relações entre a Itália e a França têm estado tensas desde que a Lactalis elevou em março sua participação na Parmalat para 29%, levantando preocupações em Roma de que a indústria italiana estava perdendo seus campeões para multinacionais francesas. Semanas antes, a gigante francesa de artigos de luxo LVMH Moet Hennessy Louis Vuitton comprou a Bulgari.

Em uma coletiva de imprensa conjunta com o presidente francês, Nicholas Sarkozy, realizada hoje em Roma, o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, afirmou que não considera a oferta da Lactalis para comprar a rival italiana hostil. "Eu não vejo a proposta como hostil, embora seja estranho que tenha sido anunciada no dia de uma reunião bilateral", disse Berlusconi.

O anúncio da Lactalis ocorre também numa semana crucial para banqueiros, financeiras e industriais italianos que buscam um acordo sobre uma defesa conjunta da Parmalat. O governo italiano anunciou planos para criar um escudo para proteger empresas supostamente "estratégicas" de aquisições por estrangeiras. Berlusconi declarou que é a favor da competição de mercado, mas que tal escudo será "justo".

Os bancos italianos e a holding estatal italiana Cassa Depositi e Prestiti têm avaliado as possibilidades de uma contraproposta pela Parmalat.

Sarkozy disse, por sua vez, que congratulava a criação de "grandes empresas ítalo-francesas", acrescentando que elas podem ser boas para a Europa.

O primeiro-ministro italiano destacou também que a força econômica da Itália está baseada em companhias pequenas enquanto as grandes francesas são fortes. Além disso, Berlusconi afirmou que as exportações italianas de bens para a França eram maiores do que os embarques da França para o país.

A Lactalis disse mais cedo que manterá a matriz da Parmalat localizada na Itália e que transferirá parte de seus negócios de leite processado da França e da Espanha para o grupo italiano. A companhia disse que as ações da empresa italiana continuariam listadas em bolsa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LactalisParmalatoferta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.